Sobre Monza

7 de setembro de 2007

Dia 3 de setembro de 1950, domingo, naquela tarde o italiano Giuseppe Farina, a bordo de um Alfa Roméo vencia a primeira edição do Grande Prêmio de Monza do primeiro Campeonato Mundial de Fórmula Um após completar 80 voltas num traçado de 6276m, conquistando assim o primeiro campeonato da categoria máxima do automobilismo. Muitos heróis, muitas histórias passaram pelo asfalto do que é considerado hoje um dos últimos templos do automobilismo onde é possível respirar ares dos tempos em que se dava uma volta com média de 180 km/h.
Mas tudo isso é passado, é memória, é história. O que não mudou foi o fascínio, o encanto que esse circuito exerce naqueles que gostam de automobilismo. Diferente de Mônaco que cria sua pista nas ruas da cidade, Monza está pronto o tempo inteiro. Amanhã vamos saber quem vai largar na pole-position. Vamos saber se o domínio que a McLaren teve nos testes da semana passada vai se repetir neste final de semana. Quem é que vai dominar o circuito que tem agora 5793m?
Domingo a cena primeira que a TV vai captar é de um verdadeiro mar vermelho inflamado pela possibilidade de vitória da Ferrari em solo pátrio. Num campeonato tão disputado vencer em Monza significa mais que a possibilidade de liderar a corrida pelo título, significa marcar seu lugar entre os grandes e nenhum dos quatro candidatos ao título de 2007 – Raikkonen, Massa, Alonso e Hamilton – venceu no circuito italiano. Quem venceu em Monza – Farina Fangio, Fittipaldi, Lauda, Piquet, Prost, Senna; Schumacher; e Barrichello.