Já vi esse filme

8 de setembro de 2007

Ao ver uma equipe dividia em duas, o que não é novidade, fico pensando o que passa na cabeça dos patrocinadores que abastecem os bolsos da categoria máxima do automobilismo chegando a proibições cretinas como a de não permitir ao piloto levar a bandeira de seu país ao pódium sob a alegativa de atrapalhar a logomarca daqueles que pagam a conta.
O que está acontecendo dentro da Mclaren lembra o que ocorreu com a briga interna da Williams em 86. enquanto Piquet e Mansel degladiavam-se, Alain Prost vencia o campeonato conquistando o segundo título de sua carreira (Prost ganhou quatro campeonatos).
Acontecer algo semelhante este ano não é improvável, no entanto, ainda ponho mais crédito em um final feliz para o espanhol Alonso.
Mais experiente e sem ter o peso de provar mais nada a ninguém, se perder bota culpa na equipe. Mas pelo que vem mostrando nas pistas ele sabe ser constante e essa qualidade já fez a diferença na disputa contra Schumacher. Posso queimar minha língua, mas esse ano dá Alonso nas pintas. Fora dela só Deus sabe.
Cabe ao Massa ser o Prost desse ano e se aproveitar dos problemas dos oponentes, mas para isso tem que fazer o dever de casa e deixar de ser inconstante como foi até a segunda metade do campeonato. Quanto ao Raikonen, este deve tomar um banho de sal grosso e arrumar um bom patuá. Bangalô, bangalô bangalo!!