Talento Inquestionável

25 de novembro de 2007

Muitas pessoas questionam o por que alguns atletas conseguem desempenhos superiores aos demais. Muitos questionam a supremacia de um competidor em relação aos seus adversários. Sempre foi assim e sempre será. Quando existe um fora de série há questionamentos diretamente proporcionais aos seus feitos. O mundo do esporte costuma nos premiar com esse tipo de atleta de tempos em tempos e no mundo do automobilismo não é diferente.

Nos anos 50, mesmo convivendo com gênios do volante, o argentino Juan Manoel Fangio imprimiu uma superioridade inquestionável. Venceu cinco vezes e entrava para a história do esporte como o maior piloto de todos os tempos. Passaram-se os anos e quem mais se aproximara do herói portenho fora o francês Alain Prost com quatro títulos conquistados, mas na metade dos anos 90 um alemão começaria a imprimir sua marca.

Dois títulos pela Benetton e cinco pela Ferrari. Sete conquistas, sendo que cinco consecutivas, fato nunca antes feito. Depois de detonar recordes na categoria máxima do automobilismo Michael Schumacher decidiu aposentar-se e afastou-se do mundo das pistas por um ano e 22 dias, até quando voltou a entrar num F-1 para realizar testes, no autódromo de Barcelona.

Onze equipes, 22 pilotos na pista catalã e todas as atenções estavam voltadas para o carro vermelho da Ferrari do velho “sapateiro”. Após seu ano sabático, Shummi mandava ver no pé do acelerador e, sem controle de tração, acabou o dia na frente de todos aqueles que foram à pista espanhola. Bastaram duas voltas para que ele marcasse tempos competitivos. Na quarta-feira mais um show. Controlou o carro, andou 90 voltas e liderou mais um dia de testes.
Se alguém duvidava da capacidade do piloto, creditando à Ferrari seu êxito nas competições, deve dar a mão á palmatória. Será que Schumacher precisa mostrar mais alguma coisa para alguém? Embora não tenha sido notada sua falta durante o ano, já que 2007 foi o mais competitivo dos últimos tempos, agora todos perguntam se não teria um lugarzinho para ele em 2008. Ia ser legal ver o alemão partindo pra cima de Hamilton. Ia ser legal