VELOCIDADE

14 de março de 2008


Robério Lessa é jornalista formado pelo Curso de Comunicação da Universidade Federal do Ceará e desde 1992 escreve sobre automobilismo.

Toda Sexta publicarei neste blog coluna semanal sobre automobilismo, chamada VELOCIDADE. Nesta primeira edição abordo o início da temporada de Fórmula Um.

O que esperar da 59° temporada de Fórmula Um?

Pelo menos que ela seja tão disputada quanto foi a do ano anterior.
Na quarta-feira escrevi sobre a situação dos brasileiros, hoje, me volto para um olhar maia amplo e para aqueles que não se cansam de perguntar sobre o favorito sugiro apostar as fichas no finlandês Kimi Raikkonem. Campeão de 2007 o “homem de gelo” ganhou moral dentro da escuderia italiana e, embora o chefe Jean Todt fale em igualdade dentro do time, todos que conhecem esse grande negócio que é a Fórmula Um, nenhuma equipe arriscaria a possibilidade de sair na frente do campeonato assegurando ao campeão o melhor equipamento para a disputa. A Ferrari exerceu domínio sobre as outras nos treinos da pré-temporada, mas na última semana dos treinos a McLaren surpreendeu. Foi a única equipe que conseguiu superar o desempenho dos carros vermelhos, deixando transparecer que a performance dos dois estão semelhantes.

Arrancada
A McLaren surge como possível vencedora das primeiras etapas, ainda mais pelo fato de ter em seu favor a configuração das três primeiras pistas, mais adequadas ao seu chassi. Até mesmo o todo poderoso da Ferrari, o presidente ferrarista Luca di Montezemolo, chamou a atenção para evitar o otimismo exagerado, o velho “salto alto”.

Mudanças
Este ano aconteceram mudanças no regulamento técnico, no formato de classificação. A principal alteração foi a proibição das ajudas eletrônicas. Estão banidos os acessórios que ajudavam os carros a não escorregarem, assim o controle de tração, controle de largada, freio eletrônico e outros estão proibidos. O braço vai valer mais.

Mais mudanças
Na classificação a mudança é o período de duração das três etapas dos treinos. Agora em cada parte da qualificação são eliminados seis pilotos e, para a última sessão, 10 carros disputam pole position, além de proibir o reabastecimento dos carros que disputam a pole. Assim, primeira fase da classificação terá 20 minutos, a segunda 15 e a terceira 10 minutos.

Novas pistas
A F-1 terá 18 etapas em 2008, uma a mais que ano passado com duas pistas novas. Höckenheim substitui Nürburgring, entram também os circuitos de Valência e Cingapura que terá a primeira corrida de Fórmula Um disputada à noite.

Sem Cobrança
O bicampeão Fernando Alonso, na primeira entrevista coletiva do ano, na tarde de ontem, no autódromo australiano, pediu paciência a seus fãs e afirmou que a equipe Renault não vai disputar os primeiros postos nesse início de campeonato. Com certeza Alonso não quer ninguém pressionando por resultados tão cedo.

Sem Pressão
Outro piloto que não quer ser cobrado no início do ano Kimi Raikkonen. Aproveitando o mote dado por Alonso, o finlandês, na mesma coletiva, tentou afastar as opiniões da maior parte dos prognósticos que o apontam como favorito para conquistar o bicampeonato. Para o finlandês, ainda é muito cedo para dizer que a Ferrari está na frente da concorrência. Sem dúvida a mesma estratégia do espanhol.