Piorou as coisas

20 de setembro de 2008

Apartir de hoje você acompanha aqui no site a Coluna do Polêmico, assinada pelo jornalista  Renato Abreu.
Piorou as coisas
Piorou tudo na série B. O Ceará ficou mais distante do sonho de subir, o que  aliás nem preocupa mesmo a torcida alvinegra que já se conformou em permanecer na B. Na verdade, o time não se preparou mesmo para tentar ir para a elite do futebol brasileiro. O caso do Fortaleza é mais grave. Ao empatar com  o Juventude e ainda por cima perder um pênalti, batido por Gaúcho, num lance que configura ainda mais a situação desesperadora do Leão, o time permanece afogado na zona de rebaixamento. Agora terá que ganhar todos os jogos em casa, tarefa praticamente impossível para um time mambembe como o Fortaleza. O próximo adversário é o Criciúma novamente em casa. O Ceará continua sua via crúcis de não conseguir uma mísera vitória fora de casa. Por que será mesmo, hein?
 
Pior média
 
    A rodada da série B, a 25ª, foi a pior em média de gols marcados: apenas 20 em 10 jogos. Outro detalhe: nenhum visitante venceu.  Foram seis vitórias dos mandantes e quatro empates. Ao vencer o Avaí no Serra Dourada por 1 a 0, o Vila Nova – que ainda não perdeu em casa – se recuperou do desastre contra o América de Natal e assumiu a segunda colocação. O G4 continua com Corinthians, Santo André e Avaí. O Bragantino continua com incrível reação, iniciada na vitória contra o Fortaleza no Castelão, na 18º rodada. A equipe venceu sua sétima partida em oito jogos e é o único time que pode entrar no G4 na próxima rodada. Para as equipes que estariam rebaixadas para a Série C de 2009, a 25ª rodada também não trouxe modificações. Paraná, Fortaleza, Brasiliense e CRB seguem entre os  quatro piores, mas com a vitória sobre o Bahia por 3 a 0, o Paraná já abriu três pontos sobre Fortaleza e Brasiliense.

Heróis

 
    A renda do Castelão foi ridícula, apenas R$ 31.399,00, para um público pagante de míseros 4 mil 614. O registro provocou uma reação de um leitor da coluna: são os heróis da meia-noite. De fato, ir ao Castelão terça-feira à noite, ver futebol às 10 da noite é mesmo dose para Leão.
 
De volta
 
    Para tentar balançar a torcida e dá um ânimo final para tentar uma reação, o Fortaleza está anunciando a volta de Rinaldo, o carequinha que fez muitos gols e que abandonou o time para jogar no Goiás onde não se deu bem. Pena que Lúcio já tenha saído do Pici.
 
Cartolagem
 
    Afundado  em uma crise sem precedentes, o Santa Cruz ganhou um presente inusitado. Um luxuoso ônibus comprado por um dos seus patrocinadores. O presidente do clube chamou a imprensa, entrou no ônibus, tirou fotografias. Elogiou os eixos, as cadeiras, o ar condicionado, o  gelágua. O ônibus é a grande realização da sua gestão de dois  anos no Arruda.   Arruda que viu o  Santa Cruz despencar para além da Série C. A única explicação possível para tal serenidade consiste no exercício do poder. Nada cega mais que o poder. Nada distancia mais o cidadão da realidade. Nada afasta mais o homem do chão nosso de cada dia.O poder é uma ilusão. O pré-futebolista Disraeli afirmava que todos amam o poder. Embora poucos saibam o que fazer com ele. No final da sessão de fotos no ônibus, um torcedor amargurado com a falência tricolor disse que tinha fome de títulos. O presidente coral olhou espantado o intruso. E filosofou como Maria Antonieta: “Meu filho, pra que time se a gente tem um ônibus desses?” .
Escreva para o colunista.