Fórmula Master: Caminho de novatos e experientes para a Fórmula 1

25 de setembro de 2008

O caminho natural de todo bom piloto brasileiro depois que desponta no kartismo é passar a competir de monopostos em alguma categoria nacional ou internacional. Uma das competições que vem atraindo jovens competidores de todo o mundo é a Fórmula Master.
Criada em 2007, a Fórmula Master é uma categoria intermediária entre a Fórmula 3, maior reveladora de talentos da história do automobilismo, e a GP2, último passo antes da Fórmula 1. “Isso ajuda muito o piloto que pretende seguir carreira no automobilismo. O carro é sabidamente bem nascido, e agrega segurança, velocidade, boa aerodinâmica, bons pneus e tecnologia de ponta”, afirma Octávio Freitas. O chassi italiano Tatuus se enquadra nas normas da FIA para a F3, enquanto a parte eletrônica do carro é idêntica à da GP2, inclusive o câmbio com troca de marchas no volante, por borboleta. Os motores são Honda 2.0, que geram mais de 250 hp.
 
A temporada composta por 16 etapas, acontece em sistema de rodadas duplas, sempre como preliminar das provas européias do FIA WTCC, o Campeonato Mundial de Carros de Turismo, e são televisionadas pela Eurosport e pelo site oficial da categoria (www.formulamaster.net). ).
 O campeonato tem provas na Espanha (Valência), França (Pau), República Tcheca (Brno), Portugal (Estoril), Inglaterra (Brands Hatch), Alemanha (Oschersleben) e Itália (Imola e Monza).
 
Com um pacote de alto nível técnico a bons custos, a Fórmula Master conta com 30 pilotos do mundo inteiro, representando 16 países, alguns deles que inclusive já testaram carros de Fórmula 1, caso do alemão Michael Ammermuller. Os prêmios distribuídos aos destaques da temporada também impressionam. O campeão ganha um teste na equipe Honda de Fórmula 1, enquanto o vice-campeão poderá testar com o time italiano Trident na GP2. Já o terceiro colocado, poderá experimentar um carro da N.Technology no WTCC. Já o melhor estreante e a melhor dupla da temporada, terão a oportunidade de um teste com a equipe Cheever, na Indy Lights e na Grand-Am, respectivamente. “Esse é mais um dos muitos motivos de a categoria juntar pilotos novatos com outros experientes e campeões de outras modalidades, como Fórmula 3000, World Series, Fórmula 3, Fórmula Renault”, finaliza Octávio.
 
A última rodada dupla da competição acontece nos dias 4 e 5 e outubro, no autódromo de Monza, na Itália.