Coluna do Polêmico – O elo perdido da corrupção

3 de outubro de 2008

O elo perdido da corrupção

Do Correio Brasiliense –   Advogado e mecenas instalado no paraíso fiscal de Liechtenstein, Hebert Batliner é apontado como grande mentor da ciranda empresarial na qual traficantes, ditadores e políticos desonestos esquentam fortunas Suíça e Liechtenstein — O que alguns dos piores ditadores, mais temidos traficantes internacionais de drogas e maiores corruptos de todos os tempos têm em comum com o deputado Paulo Maluf (PP-SP) e com o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira? Resposta: em algum momento de suas vidas, todos eles fizeram suspeitas transações financeiras com um dos maiores lavadores de dinheiro do planeta. Seu nome: Herbert Batliner, advogado de Liechtenstein, paraíso fiscal da Europa. A especialidade de Batliner é ajudar seus clientes a movimentar dinheiro pelo mundo sem deixar rastros. Ele já foi acusado de prestar serviços para gente do calibre de:  1) Pablo Escobar, o megatraficante colombiano, morto em 1993, que faturava anualmente US$ 30 bilhões com a venda de cocaína; 2) Mobuto Sese Seko, que por três décadas foi ditador do antigo Zaire (atual República Democrática do Congo), período no qual acumulou uma fortuna de US$ 5 bilhões; 3) Ferdinando Marcos, ex-presidente das Filipinas, conhecido como um dos homens mais corruptos do mundo;
4) Jorge Hugo Reyes-Torres, o maior traficante de drogas do Equador, que antes de ser preso enviava mensalmente 500 quilos de cocaína para a Espanha; 5) Família Real Saudita, que controla com mão de ferro o país responsável pela maior produção mundial de petróleo. O que liga Maluf a Batliner é um endereço. Já com Ricardo Teixeira, a conexão se dá por intermédio de uma pessoa.  (Por Lucas Figueiredo, do Correio Brasiliense).

“Tô pronto para o jogo”, do atacante Rinaldo numa declaração que agradou aos torcedores que desejam vê-lo em ação e, o que é mais importante, fazendo gols.
Assume

O ex-governador do Estado , Lúcio Alcântara, é o novo Presidente de Honra do Ferroviário Atlético Clube. O convite partiu do vice-presidente Renato Rocha, sendo prontamente aceito por Lúcio e aprovado por unanimidade pela atual diretoria-executiva coral.
Ficou feliz  Torcedor ilustre do Ferrão, Lúcio ficou extremamente feliz por assumir mais este cargo em sua vida e estará presente, para ser empossado junto de todos os outros novos diretores,  no coquetel do dia 30 de outubro na sede do Náutico Atlético Cearense.

Perdeu   

Ciel começou a se queimar com a torcida do Fluminense. No jogo com o Goiás que terminou empatado, um resultado que foi puro desastre, Ciel perdeu um gol feito e terminou sendo substituído. O empate também derrubou o técnico Cuca do cargo.

Sem opção

O Fortaleza só tem uma coisa a fazer no jogo de amanhã à noite (que horário horrível para um jogo em véspera de eleição): vencer o América e começar a sonhar em se livrar do rebaixamento. É jogo decisivo, aquele que se chama “jogo de seis pontos”.

Pronto 

Já está pronto o projeto da reforma do Castelão. A idéia é, finalmente, deixá-lo pronto para a Copa 2014. E olha que na última reforma (governo Tasso) enterraram 44 milhões de reais no estádio e não completaram o serviço.

Muito a fazer 

Segundo Quintino Farias, do DER, que vai tocar a obra, a última reforma, apesar do dinheiro gasto, não cuidou da estrutura elétrica e hidráulica. O Castelão hoje é um estádio de risco com fiação de terceira e ameaça até de curto-circuito.

Esporte radical

Praticantes do wakeboard, esporte aquático que mais cresce no mundo, participam da 2ª Etapa do Circuito Cearense de Wakeboard de 2008, que acontece nos dias até domingo, na Lagoa do Colosso,  em Fortaleza. Cerca de 40 dos 100 atletas cearenses competem e 2000 apreciadores do esporte devem participar do campeonato. O evento é uma realização da Associação de Wakeboard Cearense (AWC).

Renato Abreu.

renatopolemico@yahoo.com.br