GT3 Brasil: Carros testam dispositivo italiano

17 de março de 2009

Um aparelho com o tamanho aproximado de um dicionário de bolso ( 10 cm de largura por 13 cm de comprimento, mas apenas 3,5 cm de altura) ajudará o Telefônica Speedy GT3 Brasil nos testes de equalização de desempenho marcados para os dias 20 e 22 de abril, em Interlagos, e 26 e 27 de maio, em Curitiba.

Conhecido no jargão do esporte pela terminologia inglesa data logger, o coletor de dados Nano SDL GT2-GT3 é fornecido por uma empresa de tecnologia italiana, a MAHTechS. O dispositivo já vinha sendo utilizado pela categoria no ano passado, mas agora armazenará também as informações dos testes de equilíbrio de desempenho que serão repassadas para a empresa alemã Datas Analysis Tools and Simulation (D.A.T.A.S.) – a mesma que analisa os dados da versão européia do torneio. “A D.A.T.A.S., por sua vez, irá analisar e fazer simulações com o conteúdo registrado no data logger. Com base nisso, serão preparadas sugestões para alterações técnicas, que poderão ser implementadas ou não pela Confederação Brasileira de Automobilismo. A idéia, claro, é garantir uma melhor equiparação entre os supercarros”, diz Ivo Sznelwar, diretor-técnico da SRO, organizadora da categoria.

Entre os dados coletados pelo dispositivo italiano, a rotação do motor, a velocidade de giros da roda, a posição do acelerador, pressão da admissão de ar, além do tempo de volta , são os mais importantes em termos de desempenho do bólido. A temporada do GT3 Brasil começa no dia 26 de abril, com a prova de Interlagos. A partir de 2009, a categoria integra o evento GT Brasil, juntamente com o Itaipava Trofeo Maserati e a Copa Renault Clio.