Super GT: Peso extra atrapalha João Paulo de Oliveira no Japão

18 de abril de 2009

Líder do campeonato japonês de Super GT, o brasileiro João Paulo de Oliveira (Nissan) está sentindo as dificuldades do rígido regulamento do principal competição de carros esportivos do Oriente. Com um lastro de 40 quilos por ter vencido a prova anterior, neste sábado (18/4) o piloto da Nissan conseguiu apenas a 12ª marca para o grid de largada da segunda etapa do certame, que será disputada domingo (19/4) no reformado autódromo de Suzuka, no Japão. “O peso está sendo o maior fator que faz a diferença aqui”, admite o paulista. A pole position ficou com a dupla formada pelo francês Benoit Treluyer/Satoshi Motoyama, também com Nissan GT-R. Em virtude do extraordinário desempenho dos Nissan GT-R na temporada passada, neste ano este modelo já começa o campeonato com a penalização de 30 quilos de lastro a mais do que as outras marcas. Além disso, o vencedor de cada corrida leva na prova seguinte o conhecido ‘troféu bigorna’, que é um peso adicional de 40 quilos. “É como se eu levasse de passageiro junto comigo o (Seiji) Ara, o meu companheiro de equipe, depois de uma boa engorda”, brinca João Paulo, sobre os 70 quilos a mais que leva em seu carro.

Apesar de estar largando apenas da sexta fila, o brasileiro está confiante em alcançar um bom resultado e ainda manter a liderança do campeonato. Como a previsão para domingo é de muito calor, desde os treinos livres Oliveira andou com os compostos mais duros da Yokohama, já prevendo fazer uma corrida de recuperação. “Amanhã estará bastante quente, portanto o consumo de pneus será grande. Estamos largando com pneus duros, então tenho confiança que estamos em uma estratégia forte. Vamos ver amanhã!”, acredita JP, como o brasileiro é conhecido no Japão.