F-3 Inglesa: Gabriel Dias é pole e Victor Correa o terceiro em Silverstone

2 de maio de 2009

Gabriel Dias confirmou o bom rendimento demonstrado nos treinos livres de sexta-feira e conquistou, neste sábado (2), a pole position para as duas corridas que disputará amanhã pela National Class, divisão de acesso do Campeonato Inglês de Fórmula 3, no tradicional circuito de Silverstone, na Inglaterra. Dias superou o líder do torneio National Class, Daniel McKenzie, da Fortec, que ficou no segundo lugar do grid das duas provas. Além disso, o piloto curitibano da T-Sport mostrou consistência nos resultados ao marcar tempos virtualmente idênticos nas duas sessões classificatórias: 1min40s974 na primeira e 1min40s975, na segunda.

Já o mineiro Victor Corrêa anotou a terceira colocação para o grid de largada da terceira e da quarta etapas da classe National da Fórmula 3 Inglesa, principal campeonato da categoria em todo o mundo. “O objetivo é subir no pódio nas duas etapas e seguir o planejamento que traçamos desde o início da temporada”, afirma piloto de Alfenas, que ocupa a quarta colocação no campetição. As corridas acontecem no domingo (03/05), com largada às 09h00 e às 12h45, no horário de Brasília.

Para cumprir o objetivo de subir novamente no pódio, Victor Corrêa já tem a estratégia traçada. “O mais importante é não cometer erros e ser o mais constante possível. Quem sabe não dá até para conseguir uma posição melhor ao final da corrida”, conta. Após trabalhar bastante no desenvolvimento do carro em todo o fim de semana, ele está esperançoso com seu rendimento neste domingo. “Vou tentar ser ainda mais competitivo nas duas corridas para receber a bandeirada em boas colocações”, comenta o jovem de 18 anos, que acumula as funções de piloto de testes e de provas da equipe Litespeed, a única do certame a utilizar o chassi SLC R1.

Gabriel mostrou preocupação com o desgaste dos pneus. “Minha principal preocupação é com os pneus da segunda prova, que eu usei no último treino de classificação. Na minha volta rápida, eu travei as rodas em uma freada. Foi muito forte, e isso consumiu a borracha de forma desigual. Depois disso o carro passou a vibrar bastante e acho que não há muito o que possamos fazer para minimizar este efeito”, disse Dias. Fotos:Jakob Ebray.