Mosley faz oferta final à Associação de Equipes de F-1

18 de junho de 2009

A novela da crise na F-1 parece estar chegando aos seus capítulos finais. Isto, no entanto, não significa que o desfecho esteja bem encaminhado. Nesta quinta-feira, por meio de uma carta enviada à Associação de Equipes de F-1 (FOTA), o presidente da FIA, Max Mosley, fez a última oferta para tentar pôr fim ao embate. Na correspondência, o homem que rege o automobilismo mundial disse aceitar que as regulamentações para a temporada 2010 sejam alteradas. Desta forma, o controverso teto orçamentário, caso as equipes concordem, será estipulado em €100 milhões, passando aos €45 milhões, desejados por Mosley, somente em 2011.

Além disso, as polêmicas especificações que dariam vantagens técnicas aos times que aderissem ao teto, também foi abandonada. O presidente da FIA disse ainda concordar com que o teto seja “auto-fiscalizado” pelos times, com suspeitas de violação investigadas por um “auditor mutuamente aceito”.

Mosley propôs, também, que o Acordo Concorde expirado em 1998 seja estendido até 2014. O britânico, por fim, disse que “não é avesso” ao pedido da FOTA de mudar o sistema de processos jurídicos, o que incluiria a Corte Internacional de Apelo.

Todavia, um representante da FOTA ressaltou que não está seguro de que Mosley esteja realmente compromissado. “Eu não acredito que ele esteja comovido em absoluto, para ser honesto”, afirmou. O prazo final para que as escuderias confirmem suas inscrições será encerrado amanhã, dia 19 de junho. Fonte: F-1 na Web – Flávio Augusto