FOTA rompe com a F-1 e lançará campeonato próprio em 2010

19 de junho de 2009

A Associação de Equipes da Fórmula 1 (FOTA) anunciou na noite desta quinta-feira que irá abandonar a Fórmula 1 e criar o seu próprio campeonato em 2010. Após 4 horas de reunião na sede da Renault em Enstone, os oito membros da organização – Ferrari, McLaren, Renault, BMW-Sauber, Brawn, Red Bull, Toyota e Toro Rosso – se mostraram frustradas com a FIA e irão criar sua própria categoria. “As equipes não podem continuar a arriscar os valores fundamentais do esporte e se negaram a alterar suas inscrições condicionais para a temporada de 2010”, afirmou a FOTA em comunicado. “Os times não têm alternativa a não ser se preparar para um novo campeonato, que reflita os valores de seus participantes e parceiros.

“Esta categoria terá um governo transparente, um regulamento, além de encorajar novas inscrições e ouvir os anseios dos fãs, oferecendo ingressos mais baratos. Os melhores pilotos, estrelas, marcas, patrocinadores e promotores historicamente associados com o mais alto nível do automobilismo estarão na nova categoria”, garante a FOTA.

Os times membros da Associação de Equipes tinham até esta sexta-feira para aceitarem as regras e removerem suas condições para a entrada no campeonato, caso contrário poderiam ficar de fora da temporada 2010. Ontem, o presidente da FIA, Max Mosley ofereceu algumas concessões para as escuderias permanecerem na F-1. No entanto, o teto orçamentário, principal reclamação das equipes permaneceria no regulamento, além da possibilidade de um novo acordo Concórdia entrar em vigor. No anúncio a FOTA ainda faz uma dura crítica a FIA e aos detentores dos direitos comerciais na Fórmula 1

“A FIA e os detentores dos direitos comerciais fizeram campanha para dividir a FOTA. O desejo da maioria das equipes foi ignorado. Além disso, dezenas de milhões de dólares foram retidos de muitos times pelos detentores dos direitos comerciais, desde 2006. Apesar disso, a FOTA, em meio a um ambiente intrasigente, procurou um meio termo”, conclui o comunicado. Fonte: F-1 na Web – Lucas Martins.