Rally dos Sertões: Carros e caminhões sofrem na segunda especial

26 de junho de 2009

A segunda especial do Rally dos Sertões, entre Santa Helena e Cidade de Goiás – ambas em solo goiano – foi marcada pelas belas paisagens. No entanto, apesar de agradar aos olhos, os 334 quilômetros foram bastante severos com o equipamento dos competidores. Entre os carros, a vitória ficou com a dupla espanhola Carlos Sainz/Lucas Cruz Senra, com o Touareg (foto) da equipe Volkswagen; já nos caminhões, Edu Piano/Solon Mendes/Davi Fonseca/Solon Mendes (Ford F4000) venceram pelo segundo dia consecutivo.

Ntesta sexta os competidores enfrentarão cerca de 650 quilômetros de prova, entre deslocamentos e especial. As trilhas escondidas dentro da especial exigirão muita navegação. A etapa cronometrada de amanhã (26) mescla trechos de baixa, média e alta velocidade. A prova começa em Cidade de Goiás (GO) e vai até Minaçu (GO).

 Na competição de carros, a Volkswagen lidera com uma briga interna entre a dupla espanhola Carlos Sainz e Lucas Cruz Senra – que fechou o dia na frente –, e o time do catarente Nasser Al-Ittiyah e o alemão Timo Gottshalk, ambas competindo com o Touareg. A dupla Riamburgo Ximenes/ Stanger Eller (Mitsubishi L200 Evolution) (foto) conquistou o terceiro melhor tempo. Jean Azevedo/ Youssef Haddad (Mitsubishi L200 Evolution) e Reinaldo Varela/ Marcos Macedo (Mitsubishi L200 RS) completam os cinco primeiros na rodada.

Carlos Sainz comemorou o desempenho do carro da Volks. “Foi tudo bem, não tivemos nenhum problema e o carro se comportou muito bem nesta etapa. A especial foi muito boa, técnica e bonita. Ainda é cedo para dizer qualquer coisa, temos oito etapas pela frente. O objetivo é manter o mesmo ritmo e esperar que nada aconteça no resto da prova”, disse Sainz.

O outro Touareg, dos brasileiros Maurício Neves e Eduardo Bampi (foto), não teve um dia tão bom. No quilômetro 169 do percurso, segundo Neves contou pelo rádio, o piloto foi desviar de uma moto que estava parada em cima da ponte e acabou batendo seu Touareg, o que prejudicou a suspensão traseira esquerda. “Foi muita falta de sorte, tinha uma moto de um competidor que ficou com a roda traseira presa em um mata-burro. O Nasser (Al-Attiyah) passou rápido pela direita dela, o Carlos (Sainz) mais devagar pela esquerda, eu escolhi esse mesmo lado e com medo de bater na moto acabei caindo com a roda traseira na saída do mata-burros. Lamentável, mas são coisas de corrida, amanhã tem mais estrada e espero não ter esse tipo de contratempo”, explicou o piloto, que teve o carro rebocado até a Cidade de Goiás.

Entre os caminhões, o trio Edu Piano/ Davi Fonseca/ Sólon Mendes (Ford 4000) (foto) aumentou a vantagem conquistada ontem, mas o piloto não achou a especial tão fácil. “Foi bem quebradeira, muita curva de nível, estradinha, erosão e trecho de alta. A etapa judiou muito do equipamento, do piloto, do navegador, mas foi gostosa. Andamos bem, poupando o equipamento e conseguimos sair com o objetivo alcançado, que era terminar bem e com o equipamento inteiro”, garantiu Piano.

O time Amable Barrasa/ Guilherme Petrine/ Raphael Bettoni, que também compete com o Ford 4000 fechou o dia na segunda posição, seguido por André Azevedo/ Maykel Justo/ Ronaldo Pinto, com Mercedes-Benz Ateto 1725, na terceira colocação. Fotos: André Chaco, Caetano Barreira e Ricardo Leizer / Foto Arena