Piloto russo estraga dia de brasileiro e quase leva junto piloto português

12 de julho de 2009

Largando da segunda posição, Lucas Di Grassi (Eurobike/Schioppa) (foto) tinha tudo para fazer uma boa prova e brigar pela vitória ou por um lugar no pódio neste domingo (12) em Nurburgring, que recebeu a quinta rodada dupla da Fórmula GP2. Porém, um toque sofrido nos primeiros metros da corrida impediu o brasileiro da equipe Racing Engineering de contornar a primeira curva da prova, que era disputada sob chuva.

Largando em terceiro o piloto português Álvaro Parente disputava a primeira posição, mas após a primeira curva mas foi obrigado a frear forte e travar os pneus para evitar um toque em Vitaly Petrov, voltando assim para o terceiro posto. Menos mal para ele que permaneceu na corrida a qual terminou em segundo lugar.

Para Álvaro Parente (Foto) o fim de semana foi dos melhores já que conquistou os seus primeiros pontos da temporada, na corrida de sábado, e neste domingo (12)  subiu ao pódio de Nurburgring. O pódio de hoje não podia ter acontecido em melhor momento, o que deixou Álvaro Parente satisfeito, apesar de estar pensando já nas próximas corridas. “Este foi um fim-de-semana muito positivo e que já merecíamos um resultado deste tipo. Agora temos que continuar a trabalhar para mantermos os bons resultados e até para melhorar, porque o nosso objectivo passa sempre pela vitória”, apontou o piloto da Ocean Racing Technology.

Quem não teve a mesma sorte foi o brasileiro Lucas dio Grassi. “Minha largada não foi tão boa e na confusão dos primeiros metros sob chuva e spray d’água recebi um toque do (russo Vitaly) Petrov, que danificou a barra da suspensão no lado esquerdo do meu carro”, detalha Lucas. “A batida entortou o sistema de direção e tive apenas alguns metros para perceber e entender o que havia acontecido. Mesmo assim, ainda sem compreender 100% do problema, tentei fazer a primeira curva. Aí percebi que realmente o carro não iria fazer o contorno. Na manobra, alguma peça torta da suspensão fez a roda travar e o carro saiu escorregando em frente. Acabei batendo na traseira de outro carro”, narrou Lucas, que atingiu o carro do mexicano Sérgio Perez, da Arden, na freada da curva 1 do circuito alemão.

Chamado à sala da direção de prova, o brasileiro explicou o incidente aos comissários esportivos da GP2, que após o depoimento de Di Grassi e a análise das imagens da câmera on board de seu carro no momento da largada, decidiram pela punição de Petrov – que liderava a corrida – com um drive through.

A vitória ficou novamente com o alemão Nico Hulkenberg, da ART Grand Prix, com o português Álvaro Parente, da Ocean, em segundo lugar, seguido do japonês Kamui Kobayashi, da DAMS. Com a punição, Vitaly Petrov, da Addax, caiu para o quarto lugar, enquanto o companheiro franco-suíço Romain Grosjean terminou em quinto. O espanhol Javier Villa, da Supernova, fechou os seis primeiros que pontuaram na corrida deste domingo (12).

Com metade do campeonato já realizada, o brasileiro permanece na quarta colocação, com 26 pontos. Com as duas vitórias do final de semana, Nico Hulkenberg é o novo líder, 20 pontos à frente de Di Grassi. Grosjean, com 42, é o segundo, com Petrov em terceiro com 41 pontos.

A próxima rodada dupla da GP2 acontece na Hungria, nos dias 25 e 26 de julho.