Stock Car movimenta capital baiana

4 de agosto de 2009

A rua é pública. E nela – ou nelas, tendo em vista o gigantesco número existente ao redor do planeta –, as pessoas andam, passeiam, transitam, trabalham, entre outras inúmeras ações. A prática de esportes também é presente e algumas modalidades competem profissionalmente, no mais alto nível, nas vias de grandes e pequenas cidades. Não por acaso, as modalidades praticadas na rua são bastante populares e atraem um grande número de adeptos. Nas competições realizadas próximas ao público e, na maioria das vezes, sem a cobrança de entrada, as estrelas se apresentam e conseguem ser acompanhadas pelas janelas e portas dos lares e estabelecimentos comerciais.

A corrida de rua, um fenômeno atual de popularidade no mundo – só no Brasil, o número de corredores chega a 4 milhões – , é um grande exemplo. As provas de “pedestrianismo” reúnem atletas de elite, que em alguns casos são medalhistas olímpicos, e amadores para disputas com a mesma distância. As performances apresentadas, obviamente, são incomparáveis, mas o contato com o ídolo é direto nos momentos de largada e chegada.

Além das provas pedestres, modalidades radicais nasceram e se sustentam nas ruas. Os números impressionam: no Brasil, o skate reúne 300 profissionais, 130 entidades, 10 mil competidores e o mercado movimenta mais de 700 milhões de reais por ano (o segundo maior do mundo). No país, 3,2 milhões de casas do país possuem pelo menos um skate. Nas competições pela categoria “Street” – também realizadas por FMX e Inline –, objetos que fazem parte da paisagem de qualquer cidade, como corrimão, escadaria e rampas, são reproduzidos e se transformam em obstáculos que desafiam a gravidade e a habilidade dos competidores.

Em algumas provas do automobilismo mundial, as ruas também se transformam em grandes estrelas. O Principado de Mônaco, por exemplo, abriga o mais badalado Grande Prêmio de Fórmula 1 em todas as temporadas. No Brasil, entretanto, não há uma cidade com tradição de realizar este tipo de corrida. E isso pode começar a mudar a partir desta sexta-feira (07), quando será aberta a programação da sexta etapa da temporada 2009 da Copa Nextel Stock Car, em Salvador (BA).

Na capital baiana, será realizada a primeira corrida de rua da história da categoria. Para a prova, todos os ingressos estão esgotados e a promessa é de um evento digno de um carnaval soteropolitano, como o que acontece tradicionalmente no início do ano e que tem o título de “maior festa popular do mundo”. No lugar dos trios elétricos de Asa de Águia, Chiclete com Banana e Ivete Sangalo, carros com 450 cavalos de potência, comandados por feras como Chico Serra, tricampeão da Stock e ex-piloto de F1, Luciano Bruti, outro ex-piloto de F1, e Felipe Maluhy, um dos mais experientes do atual grid da categoria.

“É sempre interessante disputar uma corrida na rua, mas é muito difícil ultrapassar. Guiar é legal, mas correr é muito mais difícil. A corrida em si é bastante interessante, pois o público fica perto dos carros e dos pilotos. Será também um evento legal para a categoria, pois é uma corrida diferente e ajuda a popularizar ainda mais o automobilismo e a própria Stock Car”, disse Chico Serra, competidor da equipe Hot Wheels Racing, que também faz parte da sua preparação física praticando o pedestrianismo nas ruas de São Paulo.

Perto do público e “invadindo” as casas com o ronco dos motores potentes, os carros da Stock colocarão o automobilismo brasileiro no belo cenário de Salvador. Assim como as outras modalidades, a categoria desafiará o asfalto comum e os obstáculos que fazem parte do cotidiano soteropolitano. Fotos:Fernanda Freixosa e Duda Bairros.