Kart: Pilotos de fora do Estado se apóiam para viagem ao Maranhão

4 de setembro de 2009

Os equipamentos dos pilotos que disputarão a etapa classificatória Norte/Nordeste da Seletiva de Kart Petrobras chegaram juntos ao Maranhão. Na maior prova de que a rivalidade entre eles não excede os limites da pista, os competidores que vieram de fora do Estado se organizaram para que os karts fossem levados no mesmo caminhão até a cidade de Imperatriz (MA). O transporte saiu de São Paulo (SP).

Até o destino final, foram duas paradas. Uma em Belo Horizonte (MG), para pegar os motores que serão utilizados na disputa no próximo domingo (6), e outra em Brasília (DF), onde o último kart subiu para o caminhão: o equipamento do brasiliense Lucas Foresti. O esquema entre eles foi tão bem organizado que mesmo quem deixa o kart fora das regiões por onde passou o caminhão conseguiu participar.

É o caso do tocantinense Marco Túlio. A equipe dele é do Paraná, fora da rota, mas deixou o kart por mais de uma semana em São Paulo para que pudesse ser levado ao Maranhão. Foi o tempo entre a última participação dele na Copa São Paulo Light de Kart e a saída do caminhão com destino ao Nordeste. Todos os pilotos também já chegaram a Imperatriz. O último foi Lucas Foresti, na noite desta quinta-feira (3).

A pista abriu para treinos extras na quarta-feira (2) e todas as atividades oficiais, como as duas tomadas de tempo e as duas corridas, serão realizadas no domingo. A etapa Norte/Nordeste oferece duas vagas na final da Seletiva de Kart Petrobras, que está marcada para os dias 20 e 21 de outubro, em Volta Redonda (RJ), reunindo os doze classificados ao longo do ano numa disputa em igualdade de condições pelo prêmio de R$ 100 mil.

Binho Carcasci, promotor da Seletiva de Kart Petrobras, explicou que o formato da etapa Norte/Nordeste terá novidades em 2009. Desta vez, os pilotos classificados serão aquele que vencer a segunda prova do dia e aquele que tiver somado mais pontos nas duas corridas. Caso o vencedor da última bateria seja também o maior pontuador, então a outra vaga passa para o segundo que tiver mais pontos.

“É uma forma de dar chances para todos até o final. Às vezes, você pode ter tido uma quebra na primeira corrida do dia, mas ainda pode chegar à final se vencer a outra bateria”, comenta Binho Carcasci. Já há nove classificados para a decisão do prêmio de R$ 100 mil: Eduardo Banzoli, Leonardo Cordeiro, Bruno Bonifácio, Vitor Teiji, Pietro Fantin, Claudio Cantelli, Jonathan Louis, Vinícius Perdigão e Gabriel Navarrete.