Voltas mais rápidas podem ser decisivas na disputa da Copa Renault Clio

11 de setembro de 2009

Quatro pilotos já conquistaram ponto por fazer a melhor volta da corrida em 2009. Rodolfo Pousa foi o único a ser o mais veloz em duas etapas.

No mundo do automobilismo, um piloto tem um fim de semana perfeito quando faz o que os ingleses costumam chamar de “hat-trick” ou, em bom português, barba, cabelo e bigode. Estas expressões são usadas quando um dos competidores crava a pole position, vence a corrida e ainda faz a volta mais rápida da prova. Para o fã de velocidade pode até parecer uma coisa óbvia que o vencedor faça a melhor volta da etapa, mas isso nem sempre acontece, como a temporada deste ano da Copa Renault Clio comprova.

Até o momento foram disputadas cinco corridas e em apenas uma delas aconteceu o “hat-trick”. Foi na terceira etapa, disputada no autódromo de Interlagos, em São Paulo, Rolf Gemperli, da W Racing, largou na primeira colocação, venceu de ponta a ponta e ainda anotou a melhor volta da prova.

Nas outras quatro etapas quem fez a volta mais rápida da prova não foi nem o vencedor ou o piloto que largou na pole position. Além de conseguir fazer a melhor volta, na Copa Renault Clio, o piloto ainda ganha um ponto extra por este feito. Em um campeonato tão apertado quanto o deste ano, um ponto pode ser decisivo no fim da temporada.

O piracicabano Rodolfo Pousa foi quem mais conseguiu este ponto pela melhor volta da corrida. O piloto da equipe M2 Competições foi o mais veloz na etapa de abertura da temporada em São Paulo e em Curitiba.

Na última etapa da Copa Renault Clio, em São Paulo, o beneficiado com o ponto de bonificação pela melhor volta da corrida foi Luciano Kubrusly. O piloto da Officer Motorsport explica o motivo pelo qual é mais fácil os pilotos que estão atrás estabelecer a passagem mais veloz.

“É muito difícil fazer a volta mais rápida quando se está em primeiro, porque o pessoal que vem atrás tem a vantagem de estar no vácuo. Para conseguir isso o seu carro precisa estar muito superior aos outros, como aconteceu com o Rolf (Gemperli) na segunda etapa disputada em São Paulo (a terceira da temporada)”, afirmou Kubrusly, presidente da associação dos pilotos da Copa Renault Clio.

“Vai ser muito difícil alguém vencer a corrida e marcar a volta mais rápida nestas últimas três etapas. E como o campeonato está muito apertado, qualquer ponto conta. Ponto da volta mais rápida, da pole position, os pontos da bandeira amarela programada… Se o Edson (do Valle) tivesse feito a volta mais rápida, estaria empatado com o José Vitte na liderança do campeonato (com 82 pontos). Do jeito que o campeonato está, todo ponto vale muito”, analisou.

Além de Pousa, Gemperli e Kubrusly, o outro piloto a fazer a volta mais rápida em uma corrida nesta temporada foi Wagner Cardoso, que cravou a passagem mais veloz na etapa de Londrina, quando largou em último lugar e terminou a prova na segunda posição.

A próxima etapa da Copa Renault Clio acontece no dia 27 de setembro, no Rio de Janeiro. Foto:Fernanda Freixosa/Divulgação