Ford lança modelo C-Max e novo motor em Frankfurt

17 de setembro de 2009

A Ford reforça no Salão de Frankfurt 2009 a estratégia de renovação da linha de produtos que tem comandado o seu crescimento na Europa e a levou à vice-liderança de vendas na região. A marca aproveita o evento, que abre para o público de 17 a 27 de setembro, para promover a estreia mundial da nova linha C-MAX e dos motores EcoBoost de 4 cilindros com turbo e injeção direta de gasolina. Mostra também o protótipo do Focus elétrico a bateria e o Novo Focus Econetic com sistema automático liga-desliga, que faz 26,3 km/l e emite apenas 99 g/km de CO2. 

A nova linha Ford C-MAX, que será lançada na Europa no final de 2010, faz sua pré-estreia mundial em Frankfurt com dois modelos: o C-MAX, de cinco lugares, e o novo Grand C-MAX, de sete lugares, com portas corrediças e bancos com design inovador que otimiza o aproveitamento do espaço. Primeiros veículos a utilizar a nova plataforma global da Ford no segmento C, eles exibem estilo ousado e dinâmico inspirado na linguagem de design “kinetic”. A linha introduz também novas tecnologias focadas no conforto, segurança e sustentabilidade, incluindo os novos motores EcoBoost a gasolina.

A Ford confirma o lançamento do modelo Grand C-MAX na América do Norte no final de 2011. Junto com o novo Fiesta, a van Transit Connect e a próxima geração do Focus, que chega em 2010, ele é um dos seis modelos de design europeu prometidos pela marca dentro da estratégia “One Ford”.

O C-MAX é o primeiro de uma nova geração global de carros do segmento C que a Ford programa lançar nos próximos anos. A nova linha é resultado de um programa de desenvolvimento global sem precedentes, com tecnologias avançadas de segurança, conveniência e conforto. Quando todos os modelos estiverem no mercado, a expectativa da Ford é vender cerca de 2 milhões de veículos baseados nessa plataforma por ano ao redor do mundo.

A nova linha Ford C-MAX mostra que um veículo multiuso pode ser bonito e atraente sem comprometer o espaço e a flexibilidade. Seu design externo e interno foi criado com o que há de mais avançado na linguagem de design “kinetic”, a partir de temas introduzidos em produtos recentes de sucesso, como o Fiesta, o Kuga e o Mondeo.  Entre seus elementos destacam-se a linha de cintura dinâmica, as caixas de rodas arrojadas, a janela de desenho inovador junto ao pilar C e os faróis, inspirados no conceito iosis MAX. A grade inferior trapezoidal é uma das assinaturas Ford presentes no veículo. No interior, destacam-se o banco do motorista em “posição de comando”, o painel de instrumentos em formato de asa e diversos porta-objetos.

O C-MAX segue o visual esportivo de um cupê moderno, com linha de teto descendente na traseira. Ele tem três assentos individuais e dobráveis na traseira, que se transformam em dois assentos maiores e reclináveis com o sistema Comfort, opcional. Com plataforma maior e sete lugares, tem linha de teto mais alta e pilares estreitos, que enfatizam a visibilidade e o espaço generoso da cabine. Suas duas portas deslizantes, em ambos os lados do veículo, facilitam a acomodação de crianças em cadeirinhas e o acesso em estacionamentos apertados. Um mecanismo engenhoso permite dobrar e desdobrar os assentos laterais da segunda fileira para a circulação dos passageiros. Os assentos da segunda e terceira fileiras também podem ser totalmente dobrados para criar uma plataforma plana.

As novas tecnologias introduzidas na linha incluem sistema de estacionamento paralelo semiautomático, detector de pontos cegos, luz de aviso de cintos de segurança para os passageiros de trás e abertura elétrica da tampa do porta-malas. Mais detalhes desses equipamentos serão apresentados próximo do lançamento, em 2010.

Além de motores diesel, a nova linha C-MAX traz a opção de motores a gasolina, incluindo o novo Ford EcoBoost 1.6 de quatro cilindros que será introduzido na Europa em 2010. Ele combina injeção direta de gasolina com turbo e comando de válvulas variável para tornar a queima mais eficiente e reduzir o consumo de combustível e as emissões em até 20% em comparação com motores maiores da mesma potência. 

A nova família EcoBoost é um elemento chave do programa global de sustentatibilidade da Ford. A proposta é oferecer aos consumidores uma alternativa atraente aos motores diesel e híbridos, com economia de combustível, baixo custo de manutenção e alto desempenho. Com a  nomenclatura SCTi (seqüencial turbo charge injection), 1.6 para o novo C-MAX e um 2.0 para a gama de carros grandes da marca. Ambos são produzidos em alumínio, com 16 válvulas DOHC e sistema otimizado de lubrificação com revestimentos de baixo atrito. Sua combustão eficiente permite atender as mais rigorosas normas de emissões, como a Euro V e a PZEV (veículos de emissão parcialmente zero), vigente na Califórnia. Futuramente, um modelo de tamanho menor será adicionado à família para equipar a linha de carros pequenos e médios.

A Ford confirmou que o EcoBoost de 2 litros será um produto global, com lançamento na América do Norte em 2010 e na Austrália em 2011. Com o tempo, o EcoBoost vai equipar as principais linhas de veículos da Ford na Europa, utilizando a versão 2.0 para aplicações de 200 cv ou mais, o 1.6 na faixa de 150 a 180 cv e o modelo menor para o segmento de até 130 cv. A eficiência dos motores EcoBoost se deve a um novo sistema de combustão que combina três elementos chaves: injeção direta de alta pressão, turbocompressão avançada e sistema duplo de válvulas variável. O sistema de injeção direta alimenta cada cilindro com quantidades mínimas e precisas de combustível à pressão de até 200 bar e gotejamento menor que 0,02 milímetro, um quinto da espessura de um fio de cabelo. Fotos/Imagem/Divulgação.