Pilotos da equipe AMG Motorsport com estratégias distintas

19 de setembro de 2009

Até agora o sol brilhou no Rio de Janeiro, local da 7ª. etapa da Copa Nextel Stock Car, mas para amanhã, dia da corrida, a previsão é de chuva. Caso se confirme, será mais uma variável para esquentar ainda mais a disputa dessa fase decisiva para o playoff. Para a equipe AMG Motorsport, a classificação foi promissora. Átila Abreu, 8ª. no campeonato, larga da 7ª. posição. Lico Kaesemodel (foto), sai de 21º. A pole position ficou com o líder Cacá Bueno.

“O treino livre da manhã foi bom, mexemos no carro para o Q1 mas não surtiu tanto efeito, de qualquer maneira entramos no Q2. O acerto que fizemos tem um consumo alto de pneus, logo, perdi grip e fiquei a 23 milésimos dos seis que vão para o Q3. Mas a vantagem é que do 7º. para trás é permitida a troca de pneus para a corrida e nessa pista que é bastante abrasiva isso já ajuda bastante. Porém as variáveis são muitas. Existe previsão de chuva e se isso se confirmar, tudo muda. É um jogo de xadrez, quem conseguir encaixar tudo dá o cheque mate”, analisa Átila.

Para Lico, que ocupa a 17ª. posição no campeonato e precisa de um pódio para continuar lutando para entrar entre os 10 que seguem no playoff, o 21º. está longe de ser um bom resultado, porém o carro está competitivo. “Vinha numa volta boa, com trechos rápidos, mas acreditei demais e me perdi no último trecho, o carro estava um pouco traseiro. Para a corrida vamos tentar encaixar alguma estratégia, mas só na hora é que poderemos avaliar, pois as variáveis são muitas. É uma corrida para trabalhar muito, o desgaste de pneus será grande, piso abrasivo, chance de chuva. Tudo pode acontecer”, comenta Lico.