"Deu muito orgulho ver o Daniel no pódio", diz Chico sobre a primeira vitória de "Serrinha”

20 de setembro de 2009

Apesar da paralisia facial que o acomete desde segunda-feira passada, e do final de semana difícil que teve no Rio de Janeiro durante a sétima etapa da Copa Nextel Stock Car, Chico Serra estava feliz. Muito feliz. O piloto da equipe Hot Wheels Racing foi um dos primeiros a chegar ao pódio para abraçar e parabenizar o filho Daniel Serra (equipe Red Bull/Sky) pela vitória conquistada neste domingo (20) no autódromo de Jacarepaguá.

Serrinha, como é conhecido no paddock, saiu vitorioso pela primeira vez na categoria e se coloca na disputa pelo título da temporada 2009. “Deu muito orgulho vê-lo no pódio”, disse Chico, cuja trajetória e o envolvimento com o mundo do automobilismo obviamente influenciaram a paixão do filho pela velocidade.

A vitória obtida por Daniel Serra em Jacarepaguá coroa um projeto construído em conjunto entre pai e filho. “O Daniel precisava muito dessa vitória. Ano passado ele não teve uma boa temporada porque a equipe não era competitiva o suficiente, mas ele sempre mostrou seu valor como piloto talentoso que é”, afirmou o pai, orgulhoso e emocionado.

“Esse ano o Dani tem um companheiro de equipe excelente, que é o Cacá (Bueno), e um time muito competitivo. Se para mim essa vitória teve um sabor especial, imagino para ele”, continuou o experiente piloto da equipe Hot Wheels Racing. Chico contou que, há cinco anos, aconselhou o filho a mudar de carreira: deixar de lado os monopostos e o sonho de chegar à Fórmula 1 e passar a investir na Stock Car, um objetivo mais factível em virtude da falta de apoio financeiro enfrentado pelo Serra mais jovem.

“Ele estava correndo na Europa na Fórmula Renault e o aconselhei a vir para a Stock. Então o Daniel aceitou minha orientação e passou a correr na categoria Light (hoje Copa Vicar), que é a porta de entrada da Stock principal. Ele foi muito bem e no ano seguinte estreou na Copa Nextel. O Dani tem demonstrado uma grande evolução e creio plenamente que atingiu uma maturidade como piloto que lhe permitirá brigar pelo título”, analisou Chico, dessa vez com semblante sério e pensativo.

“Comecei por causa dele” – Daniel Serra largou em terceiro no Rio e soube administrar as difíceis condições oferecidas pelo piso abrasivo e o calor. Com o resultado, ele sobe para a 7ª posição na classificação e se candidata fortemente para uma vaga entre os pilotos que disputarão o título na fase final da temporada, os chamados playoffs.

“Todos sabiam que essa seria uma corrida difícil, por que o desgaste dos pneus aqui é sempre alto”, destacou. Daniel também ressaltou o orgulho de dividir a pista com o pai. “Vencer tendo ele na pista, que é um tricampeão e meu incentivador, me enche de orgulho. É uma sensação muito especial”, afirmou Serrinha, que em 2006 venceu em Brasília uma etapa da Light logo depois de seu pai ter sido o primeiro na categoria principal. “Eu comecei a correr por causa dele, inspirado por ele. Meu pai foi meu grande incentivador”, contou. Antes daquela vitória, ele havia estreado no alto do pódio da Light justamente no Rio de Janeiro.

“Aqui também venci minhas primeiras corridas com carros do tipo Fórmula”, lembrou, frisando a importância que a pista carioca vai tomando em sua carreira. “Melhor do que o que aconteceu aqui hoje, só se meu pai estivesse no pódio do meu lado. Mas esse dia vai chegar logo”, completa Daniel Serra.

Além do filho, Daniel, Chico Serra é um ídolo de muitos fãs do automobilismo no Brasil. Talentoso desde jovem, Chico chegou à Fórmula 1 pelas mãos de Emerson e Wilson Fittipaldi, para defender a única equipe brasileira da história da categoria em 1981 e 1982. No ano seguinte, disputou uma temporada pela Arrows e, em 1985, passou pela Fórmula Indy. De volta ao Brasil, Serra colecionou vitórias em várias categorias de nível nacional, mas deixou sua marca na Stock Car ao cravar os títulos de 1999, 2000 e 2001. Foto:Bruno Terena/Divulgação.