Equipe brasileira venceu pela primeira vez no Mundial de GT1

4 de outubro de 2009

Com uma grande atuação na sétima etapa do Campeonato Mundial FIA GT, o Sangari Team Brazil garantiu sua primeira vitória na GT1, a principal categoria de carros do tipo Turismo do automobilismo internacional. A conquista se deu em grande parte graças às boas atuações do piloto carioca Roberto Streit e do paranaense Enrique Bernoldi, que dividiram a pilotagem de um Corvette Z06. A corrida foi realizada neste domingo (4) no circuito de Paul Ricard, na França.

A GT1 conta com pilotos que já correram na Fórmula 1 – caso do próprio Bernoldi, do francês Olivier Panis e do italiano Gianmaria Bruni – e também com grandes pilotos de categorias do tipo Turismo do mundo inteiro, como o francês James Ruffier e o alemão Alex Muller, por exemplo. Neste cenário bastante competitivo, o Sangari Team Brazil vai se posicionando como uma das melhores equipes, apesar de ainda ser estreante. Até o momento, em quatro corridas, o time já registrou duas poles, uma vitória e um terceiro lugar como principais resultados.

A corrida em Paul Ricard teve duas horas de duração. Bernoldi foi o responsável pela largada do Sangari Team Brazil – que havia feito a pole position, mas perdeu cinco posições no grid por uma punição – e garantiu uma boa recuperação ainda nos primeiros giros. “Larguei na sexta posição e logo no início acabei errando uma marcha, o que nos fez perder tempo. Mas consegui ultrapassar quatro carros e fui atrás do (alemão) Alex Muller (Maserati MC 12), que já tinha alguma vantagem na liderança”, explicou.

O piloto tirou a diferença que o Maserati MC 12 tinha na liderança em pouco tempo. Na volta 13, Bernoldi conseguiu a ultrapassagem sobre o alemão e assumiu a liderança da prova. “Foi uma boa briga com o Muller e fiquei especialmente feliz por conseguir ultrapassá-lo, pois ele estava rápido na pista”, narrou. “Devido à punição que sofremos e a conseqüente perda de cinco posições no grid de largada, eu fiz o máximo para entregar o carro para o Roberto na melhor posição possível. Felizmente, quando trocamos o turno de pilotagem eu já estava em primeiro”. O paranaense conseguiu abrir pequena vantagem – por volta de dois segundos – até a volta 17, em que entregou o Corvette a Streit. O time foi um dos primeiros a parar para a troca de pilotos e pneus, e o carioca voltou na sexta posição.

Streit também registrou um grande desempenho em suas primeiras voltas. O carioca era constantemente mais rápido que os demais ponteiros da prova, cravando tempos na casa de 2min04s, o que garantiria a volta do Sangari Team Brazil à liderança depois de todas as paradas para troca de piloto. O brasileiro retomou a ponta o giro 25 – quando o até então líder Alex Muller entrou nos pits e todos os carros da categoria GT1 já haviam trocado de pilotos. O Corvette brasileiro voltou, então, à primeira posição. Graças às boas voltas iniciais de Streit, a vantagem do time aumentou para a casa de 13 segundos – agora à frente do português Miguel Ramos, companheiro de Muller.

“Como íamos fazer mais uma troca de pneus, precisávamos de uma boa vantagem – por volta de 14 ou 15 segundos – para conseguirmos manter a liderança quando voltássemos à pista. Então, era importante manter um ritmo forte e constante, que era a nossa única chance de garantir essa vitória”, disse Roberto Streit, que era o mais rápido nos três setores da pista e conseguiu abrir 18 segundos à frente de Ramos.

Na volta 36, faltando 42 minutos para o final da prova, Bernoldi voltou ao volante do Corvette Z06 – que também trocou o jogo de pneus, o que fez o time cair novamente para a sexta posição. Mas a sequência de voltas rápidas do Sangari Team Brazil continuou. No 41º giro, o português Ramos, que tinha uma liderança provisória, foi novamente substituído por Muller no Maserati MC 12, enquanto o belga Bert Longin (Corvette Z06) assumiu a liderança e continuou na pista por mais três voltas. Quando o piloto belga entregou o carro ao companheiro francês, James Ruffier, Bernoldi voltou à liderança da prova, com larga vantagem – cerca de 20 segundos à frente do Maserati de Muller.

O piloto brasileiro preocupou-se, então, apenas em administrar a diferença para o segundo colocado até a linha de chegada. “Tínhamos uma boa vantagem e tentei não forçar muito o carro para evitar qualquer problema e garantir nossa primeira vitória, o que, felizmente, aconteceu”, comemorou Enrique, que cravou também a volta mais rápida da prova: 2min02s659.

“Foi realmente ótimo hoje, pois a equipe não cometeu nenhum erro; nós, pilotos, também não erramos e o final não poderia ter sido melhor”, completou Streit.

A última etapa da temporada do Campeonato Mundial FIA GT será realizada no próximo dia 25 de outubro, no circuito de Zolder, na Bélgica.

Sobre a Sangari Brasil: A Sangari Brasil foi fundada em 1997 pelo físico Ben Sangari com o propósito de desenvolver soluções inovadoras na educação em ciências no ensino fundamental, do 1º ao 9º ano. A empresa integra o Grupo Sangari, fundado na Inglaterra em 1965 com o objetivo de desenvolver soluções para o ensino e a pesquisa em ciências. Hoje, a Sangari está presente em 16 países e tem se destacado no Brasil por projetos inovadores elaborados com a participação de especialistas de diversas áreas do ensino.

Confira o resultado final da GT1 no circuito de Paul Ricard, na França:
1. GT1 Enrique Bernoldi (Brasil)/ Roberto Streit (Brasil) – Corvette Z06 – 57 voltas em 2h00min27s312
2. GT1 Miguel Ramos (Portugal)/ Alex Muller (Alemanha) – Maserati MC 12 – a 15s512
3. GT1 Bert Longin (Bélgica)/ James Ruffier (França) – Corvette Z06 – a 16s820
4. GT1 Xavier Maassen (Holanda)/ Thomas Biagi (Itália) – Corvette Z06 – a 25s620
5. GT1 Michael Bartels (Alemanha)/ Andrea Bertolini (Itália) – Maserati MC 12 – a 55s004
6. GT1 Alessandro Pier Guidi (Itália)/ Matteo Bobbi (Itália) – Maserati MC 12 – a 1min08s092
7. GT1 Ange Barde (França)/ Olivier Panis (França) – Ferrari 550 Maranello – a 2 voltas
8. GT1 Thomas Mutsch (Alemanha)/ Herni Moser (Suíça) – Ford GT – a 2 voltas
9. GT1 Bas Leinders (Bélgica)/ Renauld Kuppens (Bélgica) – Ford GT – a 2 voltas
10. GT1 Mike Hezemans (Holanda) / Anthony Kumpen (Bélgica) – Corvette Z06 – não completou