Coluna Paulo Valiengo – Felipe Massa vai dar a bandeirada em Interlagos!

14 de outubro de 2009

Olá, moçada!

O piloto brasileiro Felipe Massa, que está em franca recuperação do acidente sofrido no dia 25 de julho durante os treinos do GP da Hungria, pilotou na última segunda feira (12) uma Ferrari modelo 2007, no circuito de Fiorano, e se sentiu perfeitamente bem nesse primeiro contato com um F1, após ter realizados diversos treinamentos no simulador da escuderia italiana.

Massa foi convidado para dar a bandeirada no GP do Brasil, que acontecerá em Interlagos, no proximo domingo (18), privilégio concedido para raras celebridades. A propósito, vou reprisar este texto que escrevi há algum tempo atrás, para os amigos do site carros e corridas, que é uma homenagem ao meu amigo Carlos Montagner, o Diretor de Provas do GP do Brasil.

Toda corrida de automóvel realizada no território brasileiro, é supervisionada pela CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo). Isto significa que a entidade tem o controle e a responsabilidade técnica e desportiva, sobre qualquer evento automobilístico, desde a elaboração dos regulamentos e normas técnicas e desportivas de todas as categorias, bem como a participação efetiva em todas as provas da modalidade.

A CBA está sempre presente nos autódromos, por intermédio dos seus agentes, trabalhando com muita dedicação e competência para que tudo funcione corretamente. Para se ter uma idéia, numa prova de Stock, um contingente de 70 pessoas trabalham nos bastidores do evento. Com o experiente Montagner na direção de prova, além de um mínimo de 3 comissários desportivos, 1 comissário técnico e 4 diretores adjuntos.

Além desses, o médico Dr. Dino Altmann e o pessoal do ambulatório, toda equipe de resgate com suas picapes e plataformas móveis, os sinalizadores de pista (bandeirinhas) em número mínimo de 40, e, assim por diante. O Montagner é um entusiasta que dedicou 35 anos de sua vida ao automobilismo. Na verdade é um arquiteto, que desde 1990, dedica-se exclusivamente às competições automobilísticas. Atua na Stock Car, na Fórmula Truck e na Fórmula 1, dentre outras.

O Monte me contou uma passagem muita engraçada que aconteceu no GP do Brasil de 2002. Era então Diretor de Provas e foi informado pelos dirigentes do evento, que o Pelé foi convidado para dar a bandeira quadriculada para o vencedor da corrida, função exclusiva do Montagner. Combinou e ensaiou com o maior jogador de futebol do mundo, que no momento em que o ponteiro da prova estivesse se aproximando da linha de chegada, o Montagner daria um toque na perna do Pelé, avisando para que agitasse a bandeira quadriculada.

No fim da corrida, quando o carro do ponteiro vinha de pé embaixo para cruzar a faixa de chegada, o Monte cutucou o Pelé que se virou, e perguntou… “é agora?”. Nisso o Schumacher passou a 300 km/h e não viu bandeira nenhuma! Quando o Pelé se voltou para a pista e agitou a bandeira, esta foi dada apenas para o 3º colocado!

No ano de 2004, a convidada foi a modelo internacional brasileira Gisele Bündchen (foto). O Monte desta feita foi mais “esperto”, segurou a bandeira junto com ela, sem querer insinuar nada, talvez aproveitando a oportunidade de ficar “juntinho” da beldade e evitar um engano como o do Pelé. Agora, falando sério, o momento mais importante da carreira profissional do Montagner aconteceu quando deu a bandeirada em 2.005 para o espanhol Fernando Alonso, que naquele momento, no grande prêmio do Brasil, se tornava o mais jovem campeão mundial de F-1.

A função primordial do Diretor de Prova é dar o sinal de largada, apagando as luzes vermelhas e dar a bandeira quadriculada ao vencedor da prova e aos demais competidores que cruzarem a linha de chegada.
Uma corrida também pode terminar sob bandeira vermelha, mas somente em caso de acidente que interrompa a prova, após ter sido concluído 75% do percurso. Para o piloto, sem dúvida nenhuma, a bandeirada final é o momento mais esperado de toda a corrida. Se ele estiver em 1º lugar, é a glória total. Se ele ocupar as posições subseqüentes da mesma forma ficará feliz em receber a quadriculada, por que de um jeito ou de outro conseguiu concluir a prova.

Todo piloto quer receber a bandeirada final. Portanto, sem querer comparar com a Gisele Bündchen, a bandeira quadriculada é o objeto de desejo de qualquer piloto de corrida! O Montagner também me contou que, embora tenha participado como comissário desportivo em todos os GPs que o Ayrton Senna disputou no Brasil, sempre quis dar a bandeirada final para o grande campeão, mas nunca deu certo trabalhar como Diretor de Provas neste período.

Portanto espero que o Felipe Massa não cometa o mesmo erro do nosso Pelé, para que o Montagner não seja obrigado a segurar na sua mão, como fez com a Gisele, na hora da bandeirada! É isso aí. Até a próxima.  Foto (Gisele):Arquivo pessoal/Paulo Valiengo.Foto: (Massa)Ferrari/Divulgação

Paulo Valiengo.

Escreva para o colunista: paulinhoxx@yahoo.com.br
visite: paulovaliengocomunicacao.blogspot.com

*A coluna publicada neste site expressa a opinião de seu autor