Perto do título da Porsche Cup, Miguel Paludo mantém os pés no chão

16 de outubro de 2009

Para conquistar o título de campeão por antecipação e chegar ao bicampeonato, o piloto gaúcho (NBC) precisa somar 25 pontos nas duas provas do final de semana ou vencer uma corrida e seu principal concorrente, Constantino Jr., chegar no máximo em quarto lugar.

Líder do campeonato com 76 pontos de vantagem na classificação geral e 58 já com os descartes, o piloto gaúcho só precisa somar 25 pontos nas duas provas do final de semana. Ou então vencer a primeira corrida e seu principal concorrente, Constantino Jr., chegar em quarto lugar ou em colocações inferiores.

Apesar disso, Miguel Paludo prefere manter os pés no chão e lembra que na Porsche Cup tudo pode acontecer. “No ano passado, fui campeão com uma ultrapassagem na última curva, na última volta, da última prova do ano, lá em Jacarepaguá (Rio de Janeiro). Eu, mais do que ninguém, sei que tudo pode acontecer. Por isso, não quero ficar fazendo contas muito menos pensando no título. Vou entrar na pista e acelerar para tentar vencer as duas provas. Depois eu vejo se fui campeão ou não.”

No entanto, se prefere deixar de lado a história de favoritismo e de ser considerado campeão virtual, o piloto gaúcho afirmou que, faltando apenas mais corridas para o final do campeonato, a motivação aumenta. “Não tem como ficar distante numa hora dessas. A adrenalina sobe, você começa a prestar atenção nos mínimos detalhes, lembrar de outras corridas… Tudo conta num momento como esse.”

Por falar em lembranças, Miguel Paludo tem duas de corridas em Interlagos com tempo chuvoso. Em 2008, também na preliminar do GP Brasil, ele estava disputando a liderança quando em uma curva o carro derrapou e o fez terminar a prova na sexta colocação. “Aquela corrida foi complicada. Eu estava em terceiro lugar e na Curva do Lago entrei junto com o líder e o segundo colocado. Eu coloquei por dentro, mas o carro escapou e não tentei segurar para não bater nos outros pilotos. Caí para a 13ª colocação, mas me recuperei e cheguei em sexto.”

O piloto gaúcho também lembra da última vez que esteve em Interlagos, pela GT3, em agosto deste ano. “Eu peguei o carro com chuva, fiquei na cola dos líderes e contei com um pouco de sorte para vencer. Na última volta, o primeiro colocado rodou, eu consegui escapar da batida e ganhei a prova.”

As 13ª e 14ª etapas da Porsche Cup acontecem no sábado (17) e domingo (18), em Interlagos. Foto:Jorge Sá/Divulgação