Brasil é o 1º país a produzir troféus da Fórmula 1com plástico reciclado durante o grande prêmio

18 de outubro de 2009

O troféu deste ano será uma reedição do desenho desenvolvido em 2008 pelo mestre brasileiro da arquitetura, Oscar Niemeyer , por sua beleza e originalidade. O design foi inspirado nas colunas do Palácio da Alvorada e, segundo seu criador, seguiu o mesmo caminho de elaboração de uma obra de arte, concebida para despertar emoção, surpresa e, desta vez, com a vantagem da reciclagem. 

Durante todos os dias do evento, uma mini usina de reciclagem funcionou para recuperar o plástico descartado, transformá-lo em troféus e entregar como prêmio aos vencedores da prova de Fórmula 1. Essa operação envolve as seguintes etapas: coleta seletiva e triagem a serem executadas pela Cooperativa; e moagem, secagem, extrusão e usinagem do troféu.

O processo para a produção da resina reciclada está sob o comando da Fortymil, a usinagem do troféu está sob responsabilidade da Romi e a equipe técnica da Braskem está coordenando todo o processo para a produção do troféu. A Coopercaps também cuidará do excedente coletado, para promoção do seu reuso para outras finalidades. “Trazer o universo da reciclagem para este evento de repercussão mundial mostra o compromisso da Braskem e de seus parceiros com o desenvolvimento sustentável e com a busca do engajamento da sociedade na destinação correta dos resíduos plásticos”, destaca Bernardo Gradin , presidente da Braskem, empresa responsável pela produção do troféu com resina reciclada para o GP Brasil de F1, em Interlagos (SP ). O inédito projeto está sendo desenvolvido conjuntamente pelas empresas Romi, fabricante de maquinários industriais, e Fortymil, distribuidor de resinas e reciclador de plástico, além do Instituto Socioambiental do Plástico (Plastivida) e da Cooperativa de Coleta Seletiva da Capela do Socorro (Coopercaps), especializada em coleta de materiais recicláveis.

“Com essa ação, além de mostrar na prática que o plástico, presente em nosso dia a dia, é 100% reciclável e 100% reutilizável, também queremos demonstrar a importância da coleta seletiva para minimizar os impactos ambientais”, destaca Jorge Soto , diretor de Desenvolvimento Sustentável da Braskem, lembrando que hoje a reciclagem é um tema de crescente relevância em relação aos aspectos ambiental e social. Segundo dados da Plastivida, atualmente o Brasil recicla 21% do plástico que produz, enquanto a média da União Européia é de 18,3% e da Alemanha, recordista mundial de reciclagem mecânica, é de 31%. 

A participação da Braskem na F1 surgiu com a W/, que ano passado teve a idéia de usar o Polietileno Verde no GP Brasil com a produção do  troféu de plástico 100% renovável. E neste ano inovou ao sugerir a produção in loco do troféu de plástico reciclado. Foto:Divulgação.