Confira uma análise técnica da pista de Curitiba

22 de outubro de 2009

O circo da Stock Car, composto por Copa Nextel, Copa Vicar, Pick-up Racing e Stock Jr., aterrisa neste fim de semana na capital paranaense de Curitiba para a disputa da nona etapa da temporada 2009. A prova dá início à fase classificatória da Copa Nextel, e pode definir os rumos das temporadas da Copa Vicar, Pick-up Racing e Stock Jr.

O palco da disputa será o anel externo do Autódromo Internacional de Curitiba. Com 2.550 metros, traçado é composto por uma longa reta, uma reta curva e duas curvas peculiares: uma chicane traiçoeira e uma curva bastante técnica de média para alta velocidade, para a direita.

Campeão de 2007 da Stock Jr., atual piloto da Pick-up Racing da equipe Gramacho Stedile (Tozan/Irapuru Transportes) e também engenheiro mecânico da montadora Lobini, Thiago Riberi faz uma análise técnica para explicar os desafios que a pista paranaense exerce no carro e no piloto:

Circuito
O Autódromo de Pinhais possui um asfalto muito bom e conservado, e apresenta curvas de baixa velocidade, como o “S” do final da reta dos boxes, e de alta, como a Curva da Vitória, que nós fazemos de quarta marcha. Particularmente nessa etapa será usado o anel externo então só temos duas curvas e um circuito muito rápido, por ter agora duas retas bem longas.

Freios
Acredito que ninguém deve enfrentar problemas de freio, pois as retas são longas e, com isso, conseguiremos o resfriamento adequado durante a corrida.

Pneus
Esse ponto vai ser interesante, pois os carros só farão curvas para a direita, então os pneus do lado esquerdo irão sofrer um maior desgaste, com isso, desequilibrando o carro. Na Copa Nextel, talvez eles sejam trocados; já os pilotos das outras categorias deverão buscar um acerto para minimizar esse efeito.

Estratégia
Acho que essa prova vai ser um pouco diferente, pois é um circuito muito rápido e acho que vai ocorrer muitas trocas de posições. Será um fim de semana, onde os pilotos andarão muito próximos na tabela de tempos, e um décimo pode fazer uma diferença impressionante, principalmente na classificação.

Foto:Eduardo Petroni/MS2/Divulgação.