Fábrica da Volkswagen do Brasil em São Bernardo do Campo completa 50 anos

19 de novembro de 2009

A fábrica da Volkswagen do Brasil em São Bernardo do Campo (SP) completou nesta quarta-feira (18) aniversário de 50 anos. Com mais de 11 milhões de veículos produzidos (o equivalente a um terço da frota circulante do Brasil), a fábrica é o maior ícone da indústria automotiva brasileira. Ao inaugurar a unidade, em 1959, o então presidente Juscelino Kubitscheck anunciou o nascimento de um Brasil moderno e industrializado.

Responsável por 60% da produção da Volkswagen do Brasil, a fábrica da Anchieta ajudou a construir a imagem da marca no País, com a introdução de várias inovações o Brasil como a injeção eletrônica, os freios com sistema ABS e a tecnologia Total Flex, por exemplo.

Com 12,5 mil colaboradores, operando em 3 turnos, a fábrica da Anchieta faz diariamente 1.300 veículos de 9 modelos diferentes: Novo Gol, Nova Saveiro cabine simples, Nova Saveiro cabine estendida, Polo, Polo Sedan, Gol G4, Parati, Kombi Furgão e Kombi Standart. Em seus 50 anos, a unidade produziu 22 modelos que marcaram época, como a “trabalhadora” Kombi, o “lendário” Fusca, o “inovador” Passat, o “luxuoso” Santana e o “esportivo” SP2.

Além de sede da Volkswagen do Brasil, a Anchieta abriga o primeiro centro tecnológico de criação de automóveis do Hemisfério Sul. Desde a década de 60, a unidade desenvolve veículos genuinamente brasileiros, com a melhor tecnologia automotiva. Em sua constante atualização tecnológica, a unidade recebeu em 2008 um avançado Centro de Realidade Virtual (VRC), onde são criados os novos veículos da marca dentro dos mais avançados processos de design e desenvolvimento.

Nos últimos 10 anos, a Anchieta passou por duas grandes transformações, recebendo novas máquinas, tecnologias e processos de produção. A mais profunda mudança ocorreu no ano 2000, quando foram investidos R$ 2 bilhões para a produção do Polo e a fábrica passou a ser chamada de Nova Anchieta. Mais recentemente, em 2007, a unidade passou por mais uma renovação, recebendo a produção do Novo Gol e da Nova Saveiro.

A decisão de construir a fábrica Anchieta foi tomada logo depois do início das operações da Volkswagen do Brasil, em 1953, quando a empresa ainda ocupava um galpão alugado no Ipiranga, em São Paulo. Motivada pelo sucesso imediado da marca no País e pelos incentivos do governo brasileiro, a Volkswagen começou a construir ao lado da rodovia Anchieta a sua primeira fábrica fora da Alemanha em 1956.

O munícipio escolhido foi São Bernardo do Campo, por estar próximo do porto de Santos, que recebia as máquinas de produção vindas de navio da Alemanha, e da cidade de São Paulo, o maior mercado consumidor. Na época, já se previa um crescimento acelerado da indústria automotiva brasileira, da ordem de 10% ao ano. O então presidente da República Juscelino Kubitscheck havia sido eleito com a promessa de fazer o Brasil crescer “50 anos em 5”.

Foi o próprio Kubitscheck, fundador de Brasília, que inaugurou a fábrica Anchieta em 18 de novembro 1959, desfilando dentro da unidade, entre aos colaboradores, num Fusca conversível. Ao lado de Friedrich Wilhelm Schultz-Wenk, presidente da Volkswagen na época, ele foi o protagonista de uma das mais marcantes cenas da história da indústria no Brasil.

Além das atividades de estampagem, armação da carroceria, pintura e montagem final, as instalações da Anchieta também abrigam a única ferramentaria plena da América Latina, que desenvolve meios de produção para várias fábricas do Grupo Volkswagen.

No ponto mais alto do terreno da fábrica, está situado o primeiro centro de pesquisa, planejamento, design e desenvolvimento de veículos do Brasil, instalado nos anos 60. Na Anchieta, foram “inventados” os primeiros carros brasileiros, com a tecnologia mundial Volkswagen.

Foi também na Anchieta que os engenheiros da Volkswagen introduziram importantes inovações no Brasil como a injeção eletrônica, os freios com sistema ABS, a tecnologia Total Flex e o carro BlueMotion. Na unidade, foi implantado ainda o primeiro laboratório de crash-tests do País, em 1971.

O investimento tecnológico mais recente ocorreu em 2008, com a inaguração do avançado Centro de Realidade Virtual (VRC – 3D Virtual Reality Center), que permite a concepção e o desenvolvimento simulado de novos produtos em todos os seus detalhes por meio de tecnologia tridimensional.