Piloto português prevê dificuldade de adaptação no Rally Internacional de Curitiba

4 de março de 2010

A etapa brasileira do Intercontinental Rally Challenge, o IRC, que começa oficialmente nesta quinta-feira (4), em Curitiba (PR), terá muitos desafios para Bruno Magalhães. Além de ser a primeira vez que vai correr no Brasil, faz nove meses que o piloto não anda de rali com piso de terra. “Faz nove meses que não faço uma prova de rali na terra e estou procurando me readaptar o mais rápido possível, mas posso dizer que vai ser um prazer enorme correr pela primeira vez no Brasil”.

O navegador de Bruno Magalhães, Carlos Magalhães, reforçou o discurso. “Vai ser tudo novo para nós. O que sabemos da prova no Brasil é de informações que procuramos e de algumas coisas que outras pessoas nos falam”. No entanto, a dupla parece ter reunido boas informações. “Sei que é uma prova rápida, com piso de cascalho, que vai ser muito competitiva e disputada”. Segundo o português, o processo mais complicado é o de readaptação ao piso de terra.

Mas eles já trabalharam neste sentido com um teste na França. “Entre a primeira etapa, que foi em Monte Carlo, e a de Curitiba, nós fizemos alguns testes e foi muito proveitoso. Andamos cerca de 250 km e fiquei muito satisfeito. Estou otimista para esta prova. Apesar de tudo, acho que temos boas condições de competir contra os favoritos”, revela Bruno Magalhães, que chegou ao Brasil no último sábado (27). De todos os europeus que disputarão o rali, apenas o britânico Kris Meeke já conhece os trechos da prova de Curitiba.

Foto:IRC/Divulgação.