Pedro Gomes prevê disputa intensa no Velopark

27 de abril de 2010

Um grid inteiro, com mais de 30 carros, classificados dentro do mesmo segundo não é exatamente uma novidade na Stock Car. Só que, desta vez, a competitiva categoria testará os limites deste equilíbrio justamente em um circuito onde nunca esteve. “A expectativa é de um recorde para a Stock, com os 34 carros separados por uma margem bem pequena, de meio segundo, por exemplo”, prevê Pedro Gomes.

A terceira etapa do campeonato será disputada na nova pista do Velopark, na cidade gaúcha de Nova Santa Rita, a 30 km de Porto Alegre. O mais novo autódromo brasileiro, que será inaugurado com a prova da Stock, tem como principal característica o curto traçado, de apenas 2.153 metros, composto por duas grandes retas e nove curvas. Apesar de nunca terem andado nesta pista, os pilotos acreditam que o treino classificatório será mais acirrado do que nunca.

“Mesmo sem ter referências do traçado, já dá para prever que a classificação no Velopark será a mais emocionante do ano. Afinal, teremos 34 pilotos que estão participando pela primeira vez de um GP neste circuito e, além de toda esta adaptação, terão que brigar por cada milésimo de segundo, já que o circuito tem metade do tamanho do que costumamos correr e, logicamente, reduzirá ainda mais a diferença do primeiro ao último colocado”, explica Gomes, que está na Stock Car desde 2002 e já vivenciou a estreia da categoria em outros circuitos, como Santa Cruz do Sul e Campo Grande.

Foi na capital do Mato Grosso do Sul, por sinal, onde o então estreante Pedro Gomes conseguiu seu melhor resultado na temporada de 2002. “Consegui um bom quarto lugar e o fato de a pista ser nova para todos me ajudou, já que eu era estreante naquele ano”, comenta o filho do tetracampeão da Stock Car, Paulo Gomes (Ecopads/Vaz Capacetes/Comprafacil.com).

“No Velopark, as disputas serão ainda mais acirradas (do que no menor circuito da capital paranaense). Por isso, o trabalho em equipe será duplamente importante. Primeiro, para encontrar rapidamente o melhor ajuste do carro, cruzando a informação dos dois pilotos do time. Depois, no vácuo durante a classificação, que pode render várias posições no grid de largada”, explica Pedro Gomes, que pontuou nas duas primeiras etapas do ano.

Além de ver os carros da mesma equipe trabalhando o vácuo, o piloto da Ecopads-Vogel prevê outro fator diferenciado nesta etapa: o melhor tempo pode vir na quarta ou até na quinta volta do pneu novo. “Além de a pista ser mais curta, isso pode acontecer se o asfalto realmente não desgastar tanto o composto e também se as temperaturas forem amenas, conforme indica a previsão do tempo”, explica Pedro Gomes.

Foto:Cleocinei Zonta/RF1/Divulgação/