Valmir Benavides vence a F-Truck em Caruaru

16 de maio de 2010

O paulista Valmir Benavides (Volkswagen) venceu a 3ª etapa do Campeonato Sul-americano e Brasileiro de Fórmula Truck realizado neste domingo (16) no Autódromo Internacional Ayrton Senna de Caruaru, o Grande Prêmio Bridgestone. Benavides venceu de ponta a ponta com certa tranqüilidade, marcando também a melhor volta da prova, 1min49s925. “Larguei bem e dei certo. Gosto muito do traçado de Caruaru, mas a pista realmente está precisando de uma recapeada”, lembrou o líder que agora tem 76 pontos, 11 de vantagem para seu companheiro de equipe Felipe Giaffone. O paranaense Wellington Cirino (Mercedes-Benz) chegou na quarta posição e agora é o terceiro na tabela de classificação com 50 pontos.

Como no ano passado três caminhões Volkswagen subiram ao pódio, com Felipe Giaffone na segunda posição e Renato Martins na quinta. Geraldo Piquet e Wellington Cirino com caminhões Mercedes-Benz completaram o pódio com a terceira e quarta posições respectivamente.

A prova de Caruaru foi bastante movimentada e o piso muito ondulado e com asfalto ruim, ocasionou quebras e alguns acidentes. Logo na segunda volta dois pilotos já tiveram problemas. O primeiro foi Danilo Dirani (Ford), segundo no grid de largada, entrou para os boxes com vazamento de óleo na parte de cima do motor. Com muita fumaça em cima do motor, os mecânicos descobriram uma tampa de válvula solta. Após o reparo do defeito, Danilo voltou à pista e com um incrível desempenho andou colado no líder Benavides durante várias voltas. “Essa deveria ser minha posição real se não tivesse ocorrido esse erro”, lamentou Danilo Dirani nos boxes. O segundo a entrar nos boxes foi Roberval Andrade (Scania) que largando em 18º, na ânsia de ganhar posições não conseguidas na tomada de tempo de sábado, tocou com o Volvo de Diumar Bueno danificando a carenagem do lado direito do seu Truck Scania. Consertou o catalizador danificado na batida e voltou para a pista. Com mais problemas, novamente no catalizador e no pneu traseiro direito, ainda foi desclassificado da prova por reincidência no excesso de fumaça.

Na sétima volta foi a vez de Leandro Reis (Scania) que aparentemente estava administrando o terceiro lugar do grid pensando em marcar o terceiro pódio consecutivo deste ano. A quebra do turbo o tirou da prova. Tentou um conserto, mas voltou à pista apenas pelo prazer de andar. Ficou a 13 voltas do primeiro colocado.

Na segunda metade do campeonato Benavides já mantinha uma vantagem de oito décimos de segundo em cima de Geraldo Piquet que passou a ser pressionado por Felipe Giaffone. A falta de pontos de ultrapassagem do circuito de Caruaru ocasionou uma fila indiana de caminhões atrás de Geraldo Piquet, segundo colocado que não conseguia acompanhar o ritmo do líder. Na 15ª volta, Giaffone conseguiu tomar a posição do piloto de Brasília. “Não temos um bom acerto de chão como conseguimos de motor. Eu sabia que o Felipe tinha potencial para me passar”, contou Piquet na coletiva de imprensa.

Na 18ª volta, um acidente feio envolveu Cristiano da Matta, Paulo Salustiano, Fred Marinelli e resvalando no Iveco de Beto Monteiro. Na tentativa de ultrapassagem Cristiano bateu forte na lateral direita do Volvo de Salustiano e por pouco não capotou seu Iveco. “Ele estava perdendo velocidade e eu achei que era o momento oportuno. Eu acho que ele não me viu de lado”, explicou Cristiano da Matta. O outro piloto mineiro, Bruno Junqueira (Ford), também vindo da F-Indy, perdeu o lugar no pódio na última volta quando foi ultrapassado por Renato Martins (Volkswagen). O piloto da casa Beto Monteiro (Iveco) ainda conseguiu fazer uma grande prova e ajudado pelo público ganhou várias posições saindo de 24º para chegar em sétimo na bandeirada. “Foi uma corrida sensacional e de resistência. O público me ajudou muito e mesmo com o caminhão batido consegui chegar bem”, declarou satisfeito o piloto pernambucano.

Além de vencer a prova, Valmir Benavides também ganhou um automóvel 0 km da Copa Vipal – torneio que é realizado a cada três etapas e distribui o prêmio ao piloto que marcar mais pontos nessas etapas. Na próxima prova em Campo Grande, marcada para o dia 27 de junho, terá o início a Copa Bridgestone.

Classificação da prova após 23 voltas: 1 Valmir Benavides, SP (Volkswagen); 2 Felipe Giaffone, SP (Volkswagen); 3 Geraldo Piquet, DF (Mercedes-Benz); 4 Wellington Cirino, PR (Mercedes-Benz); 5 Renato Martins, SP (Volkswagen); 6 Beto Monteiro, PE (Iveco); 7 Bruno Junqueira, MG (Ford); 8 Jose Maria Reis, GO (Scania); 9 Pedro Muffato, PR (Scania); 10 Débora Rodrigues, SP (Volkswagen); 11 Leandro Totti, PR (Mercedes-Benz); 12 André Marques, SP (Scania); 13 Fred Marinelli, PR (Iveco); 14 Danilo Dirani, SP (Ford); 15 Anderson Toso, RS (Ford). Não completaram a prova: Paulo Salustiano, SP (Volvo) e Cristiano da Matta, MG (Iveco) – 16 voltas; Leandro Reis, GO (Scania) – 13 vts.; João Maistro, PR (Volvo) e Vignaldo Fizio, SP (Ford) – 10 vts. e José Cangueiro, SP (Mercedes-Benz) – 8 voltas. Melhor volta: Valmir Benavides 1min49s925.

Classificação do campeonato após três etapas: 1 Valmir Benavides, 76 pontos; 2 Felipe Giaffone, 65 pts.; 3 Wellington Cirino, 50 pts.; 4 Leandro Reis, 39 pts.; 5 Roberval Andrade, 35 pts.; 6 Geraldo Piquet, 31 pts.; 7 Renato Martins, 23 pts.; 8 Danilo Dirani, 15 pts.; 9 Diumar Bueno, Paulo Salustiano e Débora Rodrigues, 12 pts.; 12 Leandro Totti, 11 pts.; 13 Beto Monteiro, 10 pts.; 14 Pedro Muffato, José Maria Reis e Bruno Junqueira, 9 pontos; 17 Adalberto Jardim, 8 pts.; 18 Fred Marinelli e André Marques, 7 pts.; 20 João Maistro e José Cangueiro, 5 pts.; 22 Cristiano da Matta, 2 pts. e 23 Fabiano Brito, 1 ponto.

Campeonato de Marcas: 1) Volkswagen, 164 pontos; 2) Scania, 99 pts.; 3) Mercedes-Benz, 97 pts.; 4) Volvo, 33 pts.; 5) Ford, 25 pts.; e 6) Iveco, 19 pontos.

Fotos:Orlei Silva