Na GP2, Brasil tem dia tão difícil como na Copa

25 de junho de 2010

Assim como na Copa do Mundo, o dia não foi fácil para os brasileiros na GP2, que realizou na mesma hora do confronto entre Brasil e Portugal a classificação para a sétima etapa da temporada 2010. Nas ruas de Valência, Luiz Razia e Alberto Valerio, os dois representantes brasileiros na principal categoria de acesso à F-1, chegaram a andar entre os quatro primeiros durante a sessão, mas terminaram a tomada de tempos na sétima fila. “Foi muito longe do que eu esperava”, afirmou Razia, da equipe Rapax.

O baiano teve um desempenho constante nos treinos, andando entre os dez e passando boa parte da classificação em quarto, mas o trânsito intenso dos 24 carros nos 5.419 metros do circuito montado às margens do Mediterrâneo impediu Razia de extrair o máximo do segundo, e decisivo, jogo de pneus, ficando em 14°. “Estava em quarto lugar com o primeiro jogo, mas peguei tráfego quando entrei na pista com o segundo, no momento em que todos melhoraram. Isso me impediu de aproveitar o pneu. A gente tinha dado um bom passo para a frente até aquela hora”, analisou o piloto de testes da Virgin na F-1.

Para a corrida deste sábado, marcada para as 11 horas (de Brasília), Razia crê que uma boa estratégia de pits pode fazer a diferença, com a opção de parada nas primeiras voltas, para fugir do tráfego, sendo considerada. Mas tudo depende de como será a primeira curva após a largada. “Antes de traçar uma estratégia definitiva, vamos ter de analisar como o carro vai se comportar na corrida. Provavelmente estará constante, mas parar antes é uma boa estratégia. A gente nunca sabe. Largando em 14°, a primeira curva é um risco muito grande. O negócio é passar por ela e tentar ir para a frente. A estrada é muito longa.”

Com o treino realizado no mesmo momento em que a Seleção Brasileira disputava a última partida da chave de grupos da Copa contra os portugueses, Razia não teve como assistir o jogo, que terminou empatado. “Preferi me focar no treino. Estava totalmente concentrado e nem lá no futebol fomos bem. Mais tarde verei com calma, antes vou me inteirar sobre o que aconteceu com a equipe e na Virgin”, completou Razia, que carrega a mensagem “Força Brasil” na asa traseira de seu Dallara-Renault.

A pole position ficou com o mexicano Sergio Perez, que dividirá a primeira fila com o venezuelano Pastor Maldonado. Confira o grid de largada para a sétima etapa da GP2, em Valência:

1°. Sergio Perez (ESP/Barwa Addax), 1min45s337
2°. Pastor Maldonado (VEN/Rapax), 1min45s462
3°. Jules Bianchi (FRA/ART), 1min45s658
4°. Davide Valsecchi (ITA/iSport), 1min45s898
5°. Giedo van der Garde (HOL/Barwa Addax), 1min45s995
6°. Michael Herck (ROM/DPR), 1min46s117
7°. Charles Pic (FRA/Arden), 1min46s171
8°. Christian Vietoris (ALE/Racing Engineering), 1min46s263
9°. Giacomo Ricci (ITA/DPR), 1min46s358
10°. Sam Bird (ING/ART), 1min46s362
11°. Dani Clos (ESP/Racing Engineering), 1min46s478
12°. Johnny Cecotto (VEN/Trident), 1min46s504
13°. Alberto Valerio (BRA/Coloni), 1min46s508
14°. Luiz Razia (BRA/Rapax), 1min46s518
15°. Adrian Zaugg (AUT/Trident), 1min46s532
16°. Oliver Turvey (ING/iSport), 1min46s633
17°. Josef Kral (TCH/Super Nova), 1min46s709
18°. Jerome D’Ambrosio (BEL/Dams), 1min46s743
19°. Marcus Ericsson (SUE/Super Nova), 1min46s756
20°. Ho-Pin Tung (CHN/Dams), 1min46s780
21°. Vladimir Arabadzhiev (RUS/Coloni), 1min46s868
22°. Rodolfo Gonzalez (MEX/Arden), 1min46s953
23°. Fabio Leimer (SUI/Ocean), 1min47s011

Foto: Alastair Staley/GP2