Zanol é a surpresa e Coma lidera entre as motos; Sonik, da Polônia, é o mais rápido nos quadris

13 de agosto de 2010

Uma especial rápida, com lindas paisagens. Assim foi a terceira etapa da 18ª edição do Rally Internacional dos Sertões, que nesta sexta-feira (13/08) ligou Unaí (MG) a Alto Paraíso de Goiás (GO). Após 416 quilômetros – 220 de trecho cronometrado -, o brasileiro Felipe Zanol (Honda 450) e o polonês Rafal Sonik (Yamaha 900) foram os mais rápidos entre motos e quadris, respectivamente. O dia também marcou a chegada da caravana do evento, composta por cerca de 1.700 pessoas, à Chapada dos Veadeiros.

Grande surpresa da edição 2010 da maior aventura brasileira até aqui, o piloto Felipe Zanol realizou a especial em 02h44min22s9. O competidor mineiro de 29 anos, que apresenta vários títulos em provas de Endurance, faz a sua estreia no Sertões este ano e já apresenta resultados expressivos como as primeiras colocações no super prime e na especial desta sexta.

“Para mim, hoje foi um dia muito melhor do que os outros dois. Me concentrei bastante na planilha, pois ainda não me acostumei totalmente a ela. Larguei atrás (na nona posição), peguei bastante poeira e esta foi a maior dificuldade. Ainda estou aprendendo bastante. No Enduro, onde estava acostumado a andar, a gente compete com fluxo de carros. Aqui, com o trajeto fechado, dá pra tangenciar mais na curva e ainda estou me adaptando a isso”, falou Zanol.

Segundo entre as motos na terceira etapa, com 02h44min59s2, o lendário espanhol Marc Coma (KTM 690), tricampeão mundial de Rally Cross Country e bicampeão do Dakar, assumiu a primeira colocação da 18ª edição do Sertões. Ex-líder da prova, o brasileiro Zé Hélio (BMW 450) teve a mangueira de óleo do seu intercooler furada por uma pedra e não conseguiu completar a especial. Com isso, o pentacampeão teve 06h00 (05h00 de tempo limite e 01h00 de punição por ter forfetado) e praticamente não tem mais chances de conquistar o hexa em 2010.

“Mais uma vez, foi um dia muito bonito de prova. A especial exigiu bastante navegação, com um trajeto técnico. Estou gostando desta edição do Rally dos Sertões até aqui e indo aos poucos dentro do rali”, disse Marc Coma. “Só fiquei triste com o que aconteceu com o Zé Hélio. Ele estava andando muito bem e espero que consiga resolver o problema até amanhã”, completou o espanhol.

“Foi uma fatalidade, algo que pode acontecer com qualquer um no Rally dos Sertões. Como a mangueira fica perto do meu calcanhar, eu não percebi o problema para tentar uma solução a tempo”, lamentou Zé Hélio. “Eu estava quase passando o Marc Coma quando houve o problema. Uma pena. Agora, vamos levar a moto embora e colocar um motor novo. Vou continuar correndo até o final do rali, mas certamente ficou muito difícil buscar este hexacampeonato em 2010”, finalizou o pentacampeão.

Entre os quadriciclos, o primeiro do terceiro dia de prova foi o polonês Rafal Sonik. O piloto fechou os 220 quilômetros de trecho cronometrado em 03h03min40s6. Segundo c na categoria, com 03h06min07s6, Rodrigo Varela (Suzuki 450) foi outra grata surpresa em Alto Paraíso de Goiás (GO). Competidor do Experince em 2009, o paulista de apenas 19 anos debuta na disputa de todo o Rally dos Sertões.

“Acho foi um ótimo dia de prova, com uma especial bem rápida. Além disso, o visual foi incrível. Não acho que teremos outra etapa tão bonita quanto esta. A segunda metade da especial foi magnífica, com vista para rios e montanhas. Foram algumas das paisagens mais bonitas que vi na vida”, declarou Rafal Sonik.

“Hoje foi um dia gostoso, deu para acelerar bastante. A especial teve um piso que gosto bastante, um terrão liso, como eu curto e onde estou acostumado a treinar. A sexta-feira 13 me trouxe sorte. Larguei com pneu furado na primeira etapa, e ontem atolei. Hoje não tive nenhum problema”, comentou “Varelinha”.

Baixas:
Nesta sexta-feira (13), dois pilotos abandonaram a 18ª edição do Rally Internacional dos Sertões. Ambos nas motos: Glauco Faria (KTM 450), com fratura na clavícula esquerda, e Luiz Paternostro (KTM 530), com ferimento na região dorsal, foram resgatados pela equipe médica com sucesso, mas não têm condições de continuar na prova. Também nesta categoria, Ike Klaumann (Yamaha 450) caiu e ainda passará por exames para receber autorização e continuar na prova.