Stock Car: Um "especialista" em Interlagos surge como favorito

4 de setembro de 2010

A Corrida do Milhão pode ter ganhado um grande favorito depois dos treinos classificatórios deste sábado. O paulista Marcos Gomes (Full Time), cujas quatro vitórias na Stock Car foram conquistadas em Interlagos, cravou a pole da prova de amanhã e comandará o pelotão de 34 pilotos que perseguirão o maior prêmio do automobilismo brasileiro. Ao seu lado partirá o atual campeão Cacá Bueno (Red Bull), que chegou a comemorar a pole nos derradeiros segundos do Q3 antes de ser superado por Gomes na média das três melhores voltas.

“Fazer a pole na pista onde ganhei todas minhas corridas é um estímulo”, festejou Marcos Gomes, que já faturou R$ 10 mil pelo P1 no qualifying, mas não esconde que ambição é bem maior. “Confesso que já esto sonhando com esse milhão, sim. O carro está bom, mas sei também que partir na frente pode não fazer tanta diferença, porque esta corrida será mais longa e as dificuldades também aumentarão”, analisou Gomes, que precisa dos pontos para subir na classificação do campeonato. Em 14º lugar, com 22 pontos, ainda corre para entrar entre os 10 que irão aos playoffs das últimas quatro etapas.

A largada da corrida será às 11 horas, com transmissão na íntegra e ao vivo pela TV Globo. Em termos práticos, a mudança da moeda – a primeira edição da prova utilizou o dólar como apelo de marketiing – significa uma redução de 750 mil reais na bolsa que será paga àquele que primeiro completar as 36 voltas ou 65 minutos da 7ª etapa da temporada – penúltima da fase seletiva aos playoffs. Então na Equipe Medley, o “Expresso da Paraíba” faturou R$ 1,75 milhão no final de agosto de 2008. Por causa da crise financeira global, a ideia de uma corrida milionária voltou para a gaveta no ano passado e retornou agora graças ao apoio da Goodyear, que integralizará a bolada.

É, de qualquer forma, um montante capaz de virar a cabeça da maioria dos pilotos e deixar os engenheiros às voltas com complicados cálculos de consumo de combustível e pneus. Os carros partirão com 70 litros de etanol e duas garrafas com capacidade para 30 litros cada estarão nos boxes, aguardando pela janela de reabastecimento a partir do 20º minuto. “Dependendo do ritmo, pode ser necessário colocar um pouco mais de combustível numa segunda parada”, explicou Thiago Meneghell, engenheiro de Xandinho Negrão na Equipe Medley. Outra novidade é a obrigatoriedade da troca dos quatro pneus, o que provavelmente será feito no primeiro pit stop, ou dividida em duas vezes.

A praxe indica que o vencedor deverá dividir o montante com a equipe. Se ainda assim é uma quantia tentadora, nem todos os pilotos estão seduzidos apenas pela chance de engordar a conta bancária. “Claro que seria legal ganhar essa grana toda, mas isso não é o mais importante. Para mim, o objetivo é chegar aos playoffs”, afirmou Xandinho, cujas chances ficaram comprometidas pela inesperada mudança de comportamento do carro na primeira das três sessões classificatórias. Depois de andar entre os 10 mais rápidos em todos os treinos, Xandinho não repetiu o rendimento no Q1 e partirá apenas em 28º. “Não sei o que aconteceu. Fui um pouco atrapalhado numa das minhas voltas rápidas, mas nem tanto para andar quse dois segundos mais lento que pela manhã. O carro perdeu aderência”, completou Xandinho, 19º colocado no campeonato com 15 pontos, contra 28 do 10º Thiago Camilo.

Em 2008, os carros da organização comandada pelo diretor-técnico Andreas Mattheis entraram na pista de Jacarepaguá com o favoritismo anunciado pelo domínio estabelecido desde a abertura do calendário. Desta vez, o panorama é outro e repete o salutar equilíbrio de 2009, quando 10 pilotos subiram ao degrau mais alto do pódio em 12 corridas. Todas as seis deste ano tiveram vencedores diferentes. Mas a chance da repetição do “fenômeno Valdeno”, que venceu pela primeira vez na Stock Car justamente na Corrida do milhão, não pode ser desprezada. Entre os 17 dos 34 inscritos na prova que ainda lutam por uma vitória inédita estão o próprio Xandinho, já com a experiência de um ano e meio na Stock Car e apoiado pela fortíssima estrutura da Equipe Medley. Outros candidatos a reeditar a façanha do único nordestino do grid são Popó Bueno, companheiro de equipe de Xandinho, e Antonio Pizzonia e Ricardo Zonta, com passagem pela Fórmula 1.

Fotos:Miguel Costa Jr./MF2