Fórmula 1: a briga por uma vaga no calendário mundial

10 de setembro de 2010

O Mundial de Fórmula 1 de 2010 está se despedindo da Europa, em Monza, e a disputa por uma corrida no calendário dos próximos anos esquenta os bastidores da categoria mais importante do automobilismo mundial. O campeonato de 2011 deverá ter 20 corridas (incluindo pela primeira vez a Índia, no circuito de Nova Delhi). Em 2012, os Estados Unidos voltam com uma corrida em Austin, no Texas. Ontem, a imprensa européia destacou que a França – fora do calendário desde o ano passado – também anuncia seu retorno em 2012 com o circuito de Magny-Cours totalmente reformado e uma nova estrada ligando o autódromo a Paris.

“A permanência no calendário implica em uma corrida bem organizada e um autódromo com as condições necessárias exigidas pela FIA e as equipes”, explica a diretora-executiva do GP Petrobras do Brasil de Fórmula 1, Claudia Ito. E acrescenta: “a Prefeitura de São Paulo tem enfrentado bem esse desafio”.

Os dirigentes esportivos do automobilismo internacional julgam que 20 corridas é o limite para as equipes. Dessa forma, a partir de 2012, pelo menos, dois países perderão o direito de organizar um GP de Fórmula 1. A Espanha é o único país que conta com duas corridas: o GP da Espanha em Barcelona e o GP da Europa, em Valência.

A disputa não é só entre países. O GP da Itália, que será disputado neste domingo, está no meio de uma disputa entre defensores da tradicional corrida de Monza, uma das mais emblemáticas do calendário, e a chance de sua transferência para um traçado de rua na cidade de Roma. Políticos das duas regiões envolvidas – Lombardia onde fica Monza e Lazio onde está Roma – fazem acusações e prometem resistência. Monza tem um contrato com a FIA até 2016. A marca GP de Monza, hoje, é avaliada em cerca de R$ 8,3 bilhões. Os responsáveis pela corrida de Monza – onde o GP é disputado desde 1950 – estimam em cerca de R$ 153 milhões o volume de dinheiro injetado na economia da região durante a semana do GP da Itália de Fórmula 1.