GP2: Razia machuca mão em acidente na Itália

11 de setembro de 2010

O caos tomou conta da primeira corrida da GP2 na Itália, disputada na tarde deste sábado em Monza. Nada menos que 13 pilotos se envolveram em acidentes nas 30 voltas disputadas no mítico circuito de 5.973 metros; entre eles, Luiz Razia, único brasileiro na divisão de acesso à Fórmula 1. O baiano, piloto reserva e de testes da Virgin na F-1, tentou desviar do acidente provocado pelo companheiro de equipe, Pastor Maldonado, que acertou em cheio a traseira de Romain Grosjean na primeira chicane, mas se deparou com as zebras altas e o sueco Marcus Ericsson, que parou para evitar atingir outros carros. Com o impacto, o carro de Razia chegou a decolar, danificando a barra do volante e o duto de freio.

“Fiz uma largada até boa e me livrei do primeiro acidente. Na relargada, passei o [Christian] Vietoris e, quando entrei na chicane, estava tudo parado. Quando desviei para a esquerda, me deparei com a zebra bem alta. O carro pulou e pulou para cima do outro piloto, quebrando tudo. Não tinha como fazer nada”, relata o representante da equipe Rapax.

Na queda, o volante vibrou com violência, machucando a mão direita de Razia, mas sem muita gravidade. “Quando bati, o volante virou muito rápido para direita. Eu estava tentando voltar e não havia largado a direção. Foi quando me machuquei. O carro ficou com o motor ligado, mas a barra do volante e o duto do freio ficaram danificados, então tive de desligar o carro e abandonar.”

“Na F-1, todo mundo pensa em terminar, e acidentes coletivos não acontecem com frequência; mas, na GP2, se envolver em batida é questão de má sorte. Foi o que aconteceu aqui”, lamenta Razia, que contabiliza uma sequência de 11 corridas fora dos pontos. Este jejum pode ser encerrado neste domingo, às 5h35 (de Brasília), quando acontece a corrida complementar, com transmissão ao vivo do canal pago SporTV.

Foto: Alastair Staley/GP2