GP2: Ainda com dores, Razia fecha Monza no "top 10"

12 de setembro de 2010

Ainda com dores na mão direita _resultado do acidente sofrido na bateria do dia anterior, Luiz Razia fez uma corrida de superação em Monza. Na prova que fechou a penúltima rodada dupla da temporada 2010 da GP2, o único brasileiro do grid evoluiu nada menos que nove posições durante as 21 voltas disputadas na manhã deste domingo.

O resultado desse esforço foi a décima posição na prova italiana, que coroou seu companheiro na Rapax, Pastor Maldonado, com o título. “Corri com muita dor”, admite. “Consegui largar bem e ganhar duas posições no início. Depois, aproveitei alguns acidentes e lutei bastante com Michael Herck, Marcus Ericsson e Fabricio Crestani, passando os três na pista”, relata.

“Depois, disputei com o Álvaro] Parente e o ritmo estava bom. No fim das contas, foi uma boa corrida para entender mais Monza e o carro, além de colher mais informações para a equipe. Mas, sem pontos, continua sendo um fim de semana em jejum”, lamenta Razia, que ficará dois meses longe da GP2: a categoria volta às pistas apenas nos dias 13 e 14 de novembro, para o encerramento da temporada em Abu Dhabi. “A meta lá é somar pontos para terminar o campeonato bem colocado e em alta.”

Neste intervalo, o foco de Razia estará todo voltado para a F-1, já que possui dois dias de testes programados com a equipe Virgin para novembro, logo após o término da temporada. “Vou aproveitar o intervalo para me dedicar à parte fisica e recuperar o punho machucado. Também vou treinar o máximo no simulador para chegar confortável ao teste”, completa o baiano, que acompanhará o time em todas as provas restantes de 2010 (Cingapura, Coréia, China, Japão, Brasil e Abu Dhabi), uma vez que ocupa o cargo de primeiro reserva.

Por fim Razia parabenizou o companheiro Maldonado pelo título: “Acho que ele merece. Ele ganhou seis corridas neste ano e muita coisa boa virou para ele. Ele soube aproveitar as oportunidades e foi muito bem.”

Luiz Razia e a Casa Filadélfia

Desde a última rodada dupla da GP2, na Hungria, Luiz Razia corre com a logomarca da Casa de Assistência Filadélfia (CAF) em seu carro. Nascida em 1988, a entidade trabalha pela dignidade e inclusão social de crianças, adolescentes e famílias que vivem e convivem com HIV/AIDS e em situação de vulnerabilidade social, contribuindo para a vida participativa em comunidade. Luiz Razia é um dos parceiros do CAF. Para conhecer mais sobre a Casa e seus projetos, acesse www.caf.org.br

Fotos:Beto Issa/MS2 e Luca Bassani/MS2