Cássio faz análise positiva do fim de semana em Campo Grande (MS) e vê crescimento

21 de setembro de 2010

Duas das principais características do Autódromo Orlando Moura, em Campo Grande (MS), são o forte calor e o asfalto extremamente abrasivo. Duas dos piores fatores para o elevado desgaste dos pneus de um carro de corrida. E foi exatamente esta a principal dificuldade enfrentada por Cássio Homem de Mello (Pos Coco/Max Television/Advise Propaganda/Ogio/Electric/Corsa/Marketing de Varejo) durante a sexta etapa da Copa Montana disputada no último domingo (19), no circuito da capital sul-mato-grossense.
O piloto da equipe Vogel Motorsport teve um começo bem promissor, com o melhor tempo de seu grupo e o terceiro da categoria na primeira sessão de treino livre, realizada na sexta-feira. Na classificação, Cássio enfrentou um problema que tem acontecido há algum tempo com compostos novos e conquistou a 11ª posição no grid de largada.

“Começamos muito bem o fim de semana, com um bom treino na primeira sessão de sexta. Como de costume, o carro costuma ir muito bem de pneu usado. Ainda precisamos melhorar a nossa performance com pneu zero. Isso tem acontecido tanto comigo na Copa Montana, quanto na Stock Car V8 (na qual os pilotos Thiago Camilo e Pedro Gomes correm com os carros preparados pela equipe de Mauro Vogel). Apesar disso, o 11º lugar de largada em Campo Grande foi melhor do que estávamos conseguindo antes. Estamos indo pelo caminho certo. Evoluímos o carro para a classificação, mas ainda há o que ser melhorado”, explicou.

Na corrida, Cássio conseguiu largar bem e aproveitou para impor seu ritmo enquanto estava com pista livre. O paulista, entretanto, pagou por isso. “Analisando o fim de semana como um todo, o resultado final da corrida foi positivo. Terminei entre os dez, em nono lugar, e marquei pontos importantes no campeonato. Na corrida, em sim, consegui ter um ritmo muito bom no começo, mesmo pensando nos pneus. Em Campo Grande, por causa do asfalto, o desgaste muito maior que todas as outras pistas da temporada”, analisou.

“Larguei bem, evitei cometer erros e consegui ter pista livre e andar no meu ritmo. Mas, como não tevesafety car, para diminuir o desgaste dos pneus, a minha segunda metade de corrida foi bem difícil. Quem largou atrás e pegou um pouco de trânsito no começo se deu melhor do que os pilotos que tiveram pista livre, como eu, pois conseguiu poupar mais pneu. No final tivemos muita dificuldade, pois os pneus estavam realmente muito gastos. O carro estava praticamente inguiável. Poderíamos ter ido um pouco melhor, mas acredito que não chegaria muito além do que consegui. No máximo um oitavo lugar. Então foi um fim de semana muito bom”, comentou.

A sétima etapa da temporada 2010 da Copa Montana acontece em Santa Cruz do Sul (RS), dia 24 de outubro.

Foto:Luca Bassani.