Trofeo Linea: líder, Bragantini ainda busca por regularidade

23 de setembro de 2010

André Bragantini nasceu em São Paulo, mas já faz alguns anos que mora na capital do Paraná. Tem Curitiba no coração, e neste final de semana vai disputar a quarta etapa do Trofeo Linea em casa. Líder do campeonato após seis etapas, Bragantini não se importa com o fato de ainda não ter vencido na categoria de turismo que integra o Racing Festival juntamente com a Fórmula Future Fiat e a 600 Hornet (motos). “Passamos agora da metade do campeonato e mais do que nunca vamos lutar pelos pontos e manter a liderança. A vitória, se vier, será na hora certa. Se for para conquistar o título sem ganhar, tudo bem também”, disse o piloto de 31 anos.

Apenas uma coisa anda preocupando o líder do campeonato. “Estou mais apreensivo por conta do clima, que pode ser chuvoso no fim de semana. Mas, com tempo seco ou molhado, tenho certeza que o equilíbrio será grande nesta rodada dupla”, completou o líder da temporada, que comanda a classificação com 54 pontos contra 39 do vice Cacá Bueno e 37 de Giuliano Losacco.

Depois de Bragantini, o paranaense melhor colocado no campeonato é José Cordova, quarto colocado. Alceu Feldmann, companheiro de equipe de Bragantini na Full Time Sports, é outro representante de Curitiba e vê na pista que conhece como poucos uma grande oportunidade para descontar a vantagem dos ponteiros. E acredita que terá chances de brigar pela ponta, já que um problema em uma válvula do turbo do motor o atrapalhou em Interlagos. “Tivemos esse problema e o turbo faz bastante diferença naquela pista. Com tudo resolvido, vou tentar repetir o que fiz em Londrina”, declarou Feldmann, sétimo no Trofeo Linea, com 29 pontos.

Experiente preparador do automobilismo regional paranaense, Cesinha Bonilha também vai defender o estado no fim de semana. Natural da pequena cidade de Cambé, o piloto comanda uma equipe em Londrina e conhece bem o que poderá encontrar. Ele tem a mesma preocupação que o líder Bragantini. “Só espero que não chova, porque nunca andei com esse carro com a pista molhada e se isso acontecer a gente vai começar do zero. Prefiro com tempo seco, porque já conheço bem o carro”, disse o vencedor da terceira etapa.

Ainda sem o orçamento necessário para completar a temporada, cada corrida tem sido uma provação para o piloto de 38 anos. “Espero andar bem para poder continuar no campeonato. Minha cabeça está focada a cada prova”, afirmou. Em sua estreia na terceira etapa, Cesinha conquistou uma surpreendente vitória em cima de feras do automobilismo nacional como Cacá Bueno, Ricardo Maurício, Giuliano Losacco, Thiago Camilo, entre outros. “Quero continuar correndo, e acho que posso aproveitar o que conheço do traçado”. Em abril, Cesinha venceu uma corrida do regional. “É uma pista cheia de macetes.”

Foto:Carsten Horst/MF2