Peugeot HR1 aposta em um estilo urbano e interativo

1 de outubro de 2010

O  HR1  é  um  concept  car  urbano, distintivo e inovador que mistura gêneros de forma harmoniosa (veículo urbano, cupê e SUV) e pretende seduzir  o público jovem – ativo, apaixonado por design e tecnologias e que busca  um  veículo semelhante a esse perfil. O HR1 inova com as mais atuais tendências  em  termos de hiperconectividade, capacidade de transformação e reatividade, a serviço de uma inédita experiência de condução: –  a  cinemática  original  das  portas  facilita  a  acessibilidade  a  um habitáculo   estruturado,  inédito  (com  interface  de  reconhecimento  do movimento)  e  transformável  (dois  lugares  e  um grande compartimento de bagagens, ou quatro lugares, se necessário); –  dinâmico  e responsável, o HR1 dispõe da tecnologia HYbrid4 que associa, neste  caso,  um  inédito  três cilindros a gasolina 1.2l THP à frente e um motor  elétrico  traseiro  para  emissões  controladas  de CO2 (80 g/km, ou “zero”  em  modo  elétrico),  capaz  de  desenvolver  até  147 cv, e tração integral.

O  HR1 segue a mesma linha: concebido a partir do cruzamento de cupê, SUV e citadino,  possui  identidade  própria  e  vantagens inéditas. O concept se posiciona como o veículo ideal para os jovens urbanos, solteiros ou casais, que  interagem com o mundo em torno de si sem perder a intimidade, e buscam sempre  novas experiências de vida, tanto nas atividades de lazer quanto na maneira de se locomover.

O HR1 nasceu para facilitar os deslocamentos urbanos. Com ele, a condução é sempre  um  prazer,  mesmo  nos  meios  mais  limitados ou nos espaços mais restritos.  Para tanto, beneficia-se de dimensões particularmente compactas (3,69  metros de comprimento, vãos dianteiro e traseiro curtos), mas também de um original sistema de aberturas. Baseado  na  vasta  experiência  da  Marca neste tema, o HR1 dispõe de duas portas  de  abertura  elétrica,  que  otimizam a acessibilidade em qualquer circunstância (estacionamento  apertado,  garagem pequena etc). Por fim, a distância  ao  solo  elevada promete uma posição de condução mais alta, que proporciona  benefícios  em  relação  à  visibilidade  e  à  facilidade de manobras.