Marcos Moraes disputa Rally dos Bandeirantes de olho na liderança

7 de outubro de 2010

Pilotos e navegadores já estavam com saudade da poeira. Exatamente 48 dias após o fim do Rally dos Sertões, cujas três primeiras especiais valeram pontos para o Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country, os competidores voltam à atividade neste final de semana em Taubaté (SP), para o Rally dos Bandeirantes.

Os Sherpa serão conduzidos por Marcos Moraes com navegação de Du Sachs e pelo catarinense Marlon Koerich em parceria com Sidnei Broering. Após vencer em Avaré na segunda etapa do Campeonato (e válida pelo Sertões Series) em parceria com a esposa Flora, Moraes volta a ter Sachs na navegação. A dupla, responsável pela organização e levantamento do roteiro do Rally dos Sertões, volta a vestir macacão e capacete.

“Já estava com saudade de guiar em um rali, depois de todo trabalho que tivemos no Sertões. Agora o foco é totalmente no final de semana, pois esta vai ser uma etapa importante para o campeonato, faltam três provas e ainda temos descartes para tirar. Se contar com os pontos que nós e os adversários já podem descartar, estamos com quatro pontos de vantagem na liderança, mas precisamos consolidar esta posição”, apontou Marcos, que na contagem bruta tem 62 pontos contra 74 de Jean Azevedo.

“O Rally dos Bandeirantes é uma das melhores etapas do Campeonato Brasileiro de Rally Cross-Country. A prova costuma ser em um traçado bem travado e bastante sinuoso, que demanda muita navegação. A última vez que corri lá tive um problema de desidratação na primeira volta, o que me deixou bastante enjoado. Na segunda volta me preocupei bastante com a hidratação e fui melhor. De qualquer jeito, é uma etapa que quem sofre com problema de labirinto costuma enfrentar bastante dificuldade”, acrescentou Moraes.

Marlon Koerich havia ficado de fora das duas primeiras etapas do campeonato, mas nos três primeiros dias de Sertões – válidos pelo Brasileiro -, o catarinense acumulou dois segundos e um terceiro lugar, alcançando a quinta posição na classificação geral entre os protótipos. “Esta é minha primeira prova após o Sertões, e o legal é que a equipe está dando continuidade no projeto iniciado no evento, com o patrocínio da Gillette, com uma visão mais ampla, focando a temporada como um todo. Graças ao desempenho nos primeiros dias do Sertões, cheguei ao quinto lugar no Campeonato Brasileiro e a idéia é subir mais na classificação, talvez para quarto ou terceiro, que é possível, mas a concorrência está muito bem preparada”, afirmou.

“O bom é que vou competir com o mesmo carro com o qual corri no Sertões. A diferença é o navegador, já que o Deco (Muniz, seu navegador anterior) não poderá competir. Mas eu já conheço o Sidnei há um bom tempo e nos entendemos muito bem. Isso já facilita a adaptação”, disse.

Segundo o cronograma da competição, o rali será composto de quatro especiais, duas por dia, sendo cada de 67 quilômetros, totalizando cerca de 268 km, passando pelas Fazendas N. S. Glória, Gaspar e Conceição, Rodovia Ayrton Senna, em Taubaté e Caçapava Velha.