Stock Car: finalistas comentam os desafios da Mobil Super Final

8 de outubro de 2010

Os desafios da Mobil Super Final, a partir da prova de abertura, em Londrina. Este foi o foco da coletiva de imprensa com os finalistas da Copa Caixa Stock Car, que reuniu nesta quinta-feira, no Autódromo Internacional Ayrton Senna, os dez pilotos que continuam na briga pelo titulo de 2010 da principal categoria do automobilismo brasileiro. Em um clima descontraído, Ricardo Maurício, Eurofarma RC (Chevrolet), Átila Abreu, AMG Motorsport (Chevrolet), Nonô Figueiredo, Cosan Mobil Super Racing (Chevrolet), Max Wilson Eurofarma RC (Chevrolet), Cacá Bueno, Red Bull Racing (Peugeot), Marcos Gomes, Allam Khodair , ambos da da Blau Full Time (Peugeot), Felipe Maluhy, da Officer ProGP (Chevrolet), Daniel Serra, da Red Bull Racing (Peugeot), e Popó Bueno, da A. Mattheis (Chevrolet) responderam às perguntas dos jornalistas e contaram sobre suas expectativas para a Mobil Super Final.

Neste domingo, a nona etapa da Copa Caixa Stock Car tem transmissão ao vivo pelo Canal SporTV a partir das 11h05. Nesta sexta-feira, a programação começa às 9h com o primeiro treino livre do Mini Challenge. A Copa Caixa Stock Car realiza sua primeira sessão a partir das 12h15 com os pilotos divididos em dois grupos.

Ricardinho, rosto conhecido nas brigas pelo título, reconheceu o bom nível dos finalistas. “Nessas últimas provas pudemos ver o crescimento de todos os pilotos que estão na Super Final. É difícil apontar um campeão. Mas estou bem feliz em estar na disputa do título e contente pelo carro competitivo que a equipe me deu”, considerou o atual líder da Copa Caixa.

Átila destacou o bom trabalho da AMG e a força dos adversários. “Realmente estou muito feliz de entrar na Super Final. Acredito que isso foi um trabalho bem feito e de continuidade que tivemos. Também ressalto o bom relacionamento que tenho com a equipe. Com certeza será bem difícil, afinal temos um grupo forte e acho que os dez vão fazer de tudo pelo título”, ressaltou o piloto sorocabano.

Nonô Figueiredo, que participará pela primeira vez da Super Final falou da satisfação em estar na disputa. “Estou muito satisfeito de estar na Mobil Super Final. Ser constante foi uma das minhas grandes virtudes nesse ano e pretendo seguir nesse ritmo. Estou certo que será super disputada e essa corrida aqui em Londrina, quem fizer um bom resultado pode levar vantagem”, analisou Nonô.

Max fez questão de salientar a felicidade de estar novamente na Super Final. “Claro que estou bastante feliz de estar nesse grupo. É uma honra estar de novo na briga pelo título, especialmente pelo alto nível e grande competitividade da Stock Car hoje. Temos sido consistente e quero manter esse ritmo. Chego aqui bem confiante”, declarou o piloto da Eurofarma.

Cacá Bueno, outro que é presença cativa na Super Final, falou que é bom estar na Mobil Super Final e relembrou as dificuldades da temporada. “Estou feliz de entrar novamente na Super Final. Esse ano entramos em uma situação um pouco diferente, por estarmos mais atrás, longe dos líderes. As coisas foram meio complicadas, mas todos tiveram problemas. Parabenizo os outro nove pilotos. Temos um grupo forte e não dá para apontar um favorito”, analisou Cacá.

Marquinhos reforçou sua competitividade, especialmente nas duas últimas corridas. “Para mim o ano não começou muito bem. Tivemos problemas mecânicos em algumas provas, em outras alguns pilotos me tiraram da disputa. Porém, a partir da Corrida do Milhão, em Interlagos, a minha sorte mudou e consegui dois bons resultados com o pódio em São Paulo e Campo Grande”, relembrou Marcos Gomes.

Khodair, ainda anestesiado com a alegria da paternidade, também lembrou os problemas e comentou a dificuldade da Super Final. “Foi bem difícil entrar nesse grupo seleto. Acredito que os dez estarão bem agressivos nessas últimas quatro provas, ainda mais por conta do formato, que nos obrigar a descartar um resultado. Tive altos e baixos, mas estou muito confiante para essas provas que serão realizadas nos circuitos que mais gosto”, declarou o piloto da Blau Full Time.

Maluhy, que marca seu retorno à Super Final, destacou o trabalho de sua equipe. “Estou graças a Deus de volta à Super Final depois de ter ficado dois anos fora. Mudei de equipe e a parceria tem dado certo, tanto que consegui minha primeira vitória na categoria depois de bater na trave algumas vezes. E tudo isso me deixa animado para essa fase da competição. Estou muito confiante”, enfatizou o piloto da Officer ProGP.

Daniel Serra, de maneira sucinta, ressaltou o trabalho de sua equipe. “Estou bem animado, mesmo entrando na Super Final em nono. Acredito que estamos forte, temos um carro bom e competitivo. E isso se comprovou especialmente na última etapa, onde liderei as disputas, independente do resultado final”, comentou o paulista.

Popó demonstrou sua alegria de estar na Super Final. “Fui o último a conseguir a vaga. Na corrida de Campo Grande vinha em uma situação quase impossível, mas sabia que tinha um carro competitivo e dei meu melhor. Essa fase é diferente e não conta só a regularidade. Tudo será importante. E acredito que temos condições de surpreender nesta reta final. A partir de agora, depois de uma classificação sofrida, o que vier é lucro”, enfatizou.
Fotos:Duda Bairros.