Dodge Viper entra na disputa por vitórias na reta final da GT Brasil

16 de outubro de 2010

O campeonato, é claro, mudou bastante, mas ainda está na memória de pilotos e equipes o desempenho consistente do Dodge Viper Competition Coupe nas passagens mais recentes por Pinhais (PR). A pista volta a receber a categoria no fim deste mês, nos dias 30 e 31 de outubro, com a penúltima etapa da temporada da GT Brasil.

“A reta longa ajuda a aproveitar o motor, que é a melhor característica do carro. Como o circuito não tem tantas curvas de baixa, o ponto forte será o aproveitamento das saídas de curva. Conseguimos nosso melhor resultado na etapa passada de Pinhais, um terceiro lugar, então se tudo der certo temos chance de vencer”, afirma Pedro Queirolo.

Ele foi o único piloto a disputar regulamente a temporada com o Dodge Viper Competition Coupe. Mas a fama do carro é antiga: no ano passado, naquela mesma pista, o modelo conseguiu duas pole positions e uma vitória nas mãos da dupla formada na época por Ramon Matias e Matheus Stumpf.

O processo de equilíbrio de desempenho promovido pela categoria permite que os carros de todas as marcas tenham performances parecidas nos mais variados traçados, mas a boa expectativa é justificável diante das apresentações recentes do Dodge Viper Competition Coupe – mesmo em outras pistas do Itaipava GT Brasil.

Na rodada dupla mais recente, realizada no Velopark, em Nova Santa Rita (RS), o carro demonstrou progresso utilizando pneus mais adequados, os novos compostos da Michelin, se aproximando um pouco mais dos favoritos Ford GT e Lamborghini Gallardo LP560. “Com a equalização, acho que todos os modelos têm chances reais de ganhar”, analisa Pedro Queirolo.

Por enquanto, o Dodge Viper Competition Coupe ainda busca sua primeira conquista em 2010. “O carro deve melhorar o desempenho e espero que consiga bons resultados, já pensando em ser mais competitivo em 2011”, acrescenta o piloto do TNT Energy Team, que terá um novo chefe de equipe em Pinhais. Passa a trabalhar sob o comando de Maurício Ferreira.

“Optei por terminar o campeonato na equipe do Maurício, porque acompanho o trabalho dele também em outras categorias e acredito que podemos crescer com essa mudança. Quero experimentar um novo ambiente de equipe e tentar evoluir um pouco mais”, revela Pedro Queirolo, que teve um período de quatro anos de bons resultados com Humberto Guerra.

“Sempre tivemos carros muito competitivos. Terminamos o Itaipava Trofeo Maserati em terceiro em 2008 e perdemos o título na última prova para o Cleber Faria, que também era da nossa equipe, em 2009. Neste ano a equipe se empenhou muito, mas tivemos falta de sorte e algumas quebras que prejudicaram nosso desempenho”.

Além da mudança de equipe, o piloto ganhou também uma nova referência no grid de largada, já que não será mais o único ao volante de um Dodge Viper Competition Coupe. O paranaense Wagner Ebrahim está de volta ao Itaipava GT Brasil, guiando um carro da mesma marca. “Fico muito feliz que o Ebrahim esteja voltando para o campeonato”.

“Lugar de carro de corrida é na pista”, brinca Pedro Queirolo. “Vai ser muito importante para podermos comparar resultados de um mesmo modelo com pilotos rápidos. O Fabio (Ebrahim, irmão de Wagner) deve voltar para a última etapa e com certeza eles formarão uma dupla muito forte para disputar o pódio nessas etapas e o título em 2011”.