Antonio Jorge Neto acredita que Pit stops devem determinar resultado da corrida

22 de outubro de 2010

Distante 150 km de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, a cidade de Santa Cruz do Sul é o palco da décima etapa da Copa Caixa Stock Car em 2010. Neste domingo, a “Capital Nacional do Fumo” deixa de respirar a Oktoberfest e volta suas atenções aos carros mais rápidos do Brasil na mais seletiva pista do calendário, com 3.531 metros, sentido anti-horário e 14 curvas das mais variadas.

“É um traçado bem seletivo, com curvas de média e baixa velocidade”, destaca o experiente Antonio Jorge Neto, piloto do RZ Corinthians, a equipe com a maior torcida da categoria. “É muito importante ter um carro que seja ágil para mudar de direção, por conta das várias curvas em seqüência para direita e esquerda.”

Adorada pelos pilotos por seu desenho desafiador, a pista de Santa Cruz possui poucos pontos de ultrapassagem _notadamente no fim da longa reta dos boxes. Por isso, os pit stops devem, assim como aconteceu na etapa anterior, em Londrina, ser um momento chave da disputa pela vitória.

“A estratégia principal são as paradas no box. Aliás, em todas as corridas deste ano o tempo de troca de pneus e abastecimento foram decisivos”, analisa Jorge Neto, vice-campeão em 2006. “Toda nossa equipe tem treinado bastante para que corra bem nos box”, completou. Ou seja, veremos uma corrida bastante movimentada não só nas pistas, mas também em um trecho de algumas centenas de metros onde os pilotos não podem passar os 60km/h: o pit lane.

A décima etapa da Stock Car está marcada para as 11 horas (de Brasília), com transmissão ao vivo do SporTV e flashes ao vivo no Esporte Espetacular da Rede Globo.