Estratégia ousada era a aposta de Lucas na Coréia

24 de outubro de 2010

Durou apenas 27 voltas o domingo de Lucas Di Grassi (Sorocred, Locaweb, Eurobike, Schioppa) em Yeongam, na disputa do inédito Grande Prêmio da Coréia do Sul, 17ª etapa do Campeonato Mundial de Fórmula 1. A prova viu uma reviravolta na disputa pelo título com os abandonos de Mark Webber e Sebastian Vettel, ambos da Red Bull, e com a vitória do espanhol Fernando Alonso, da Ferrari, que assumiu a liderança da temporada.

Antes da corrida, 15 horas ininterruptas de chuva na região do autódromo atrasaram a largada e, quando autorizada, haviam se passado 17 voltas com o Safety Car à frente do pelotão. A pista estava bastante molhada, mas já começava a se formar o trilho por onde os carros passavam, e na volta 25 Di Grassi foi o primeiro a ir aos boxes trocar os pneus de chuva extrema pelos intermediários.

“Tomamos a decisão mais correta no momento certo ao trocar os extreme pelos intermediários logo de cara. Estávamos em uma boa posição para conquistar um resultado consistente para a equipe, já que na parte inicial da prova eu mantinha um ritmo que me permitia andar junto dos dois carros da Sauber e um Toro Rosso depois que o Safety Car foi para os boxes”, afirmou Lucas.

A corrida do brasileiro, no entanto, terminou após uma disputa por posição com o japonês Sakon Yamamoto, da Hispania. “Ele estava muito mais lento à minha frente e fui para a ultrapassagem, mas ele subitamente me fechou e, para não bater nele, acabei escapando da pista molhada”, lamentou.

Com o abandono tanto de Lucas como de Timo Glock, a Virgin já direciona seus esforços para a 18ª etapa do Mundial, no dia 7 de novembro em Interlagos. “Bom, agora temos duas semanas até o GP do Brasil, para onde esperamos coisas mais positivas. Enfim, vou correr em casa”, disse Lucas.