Furo de pneu tira Pachenki da liderança da Copa Montana

25 de outubro de 2010

Um pneu furado tirou de Diogo Pachenki, neste domingo (24), a liderança da Copa Chevrolet Montana. O piloto paranaense da Nascar Motorsport terminou a sétima e antepenúltima etapa, no autódromo gaúcho de Santa Cruz do Sul, em 14º lugar, após cumprir um pit stop para substituição de um pneu furado. A vitória foi de Douglas Soares, sua primeira na categoria. Rafael Daniel, segundo na pista, assumiu a primeira colocação na tabela de pontos.

Quinto no grid, Pachenki assumiu o quarto lugar logo após a largada. Na sétima volta, herdou o terceiro lugar de Eduardo Leite, chamado aos boxes para o cumprimento de punição. Na 13ª, depois de uma volta com o safety car na pista, o paranaense subiu para segundo, valendo-se da confusa disputa pela liderança entre Soares e o pole Galid Osman, que rodou e perdeu várias posições. “A cada volta eu tinha mais certeza de que venceria”, falou.

Durante a intervenção do safety car, contudo, Pachenki passou por cima de pedras. “Isso furou meu pneu traseiro esquerdo”, disse. O pneu perdeu pressão gradativamente até estourar na 21ª volta. Rafael Daniel pressionava Pachenki na caça ao segundo lugar. “Quando meu pneu estourou de vez, meu carro ficou bobo. O Rafael vinha atrás e meu bateu, sem culpa nenhuma. Ainda bem que isso não estragou a corrida dele”, frisou o piloto da Nascar Motorsport.

Campeão em 2004, Pachenki não mostrou qualquer aborrecimento pela perda da liderança. “Meu pneu já vinha perdendo pressão há algumas voltas, isso me fazia perder rendimento. Tenho quase certeza que ganharia a corrida se não fosse isso, mas é o tipo de coisa que acontece com todo mundo. O importante é a boa chance no campeonato, corro pelo título”, prometeu o piloto, que tem apoio de Colchões Ecoflex, Mion, Diference e Boutique do Sono.

Pachenki mantém a liderança do campeonato se considerado desde já o descarte obrigatório dos dois piores resultados de cada piloto. Ele desfaz-se dos dois pontos marcados em Santa Cruz do Sul e do abandono em Ribeirão Preto. Fica com 85 pontos. Daniel descarta um ponto do 15º lugar no Velopark e oito de um de seus dois oitavos lugares, obtidos nas etapas de São Paulo e de Campo Grande, ficando com 84.

“É um dado a nosso favor, esse, mas não dá para contar com isso ainda, porque temos 50 pontos para disputar nas duas últimas etapas. O melhor negócio é evitar os cálculos e ganhar posições”, comentou Pachenki. A oitava e penúltima etapa da Copa Montana, no dia 21 de novembro, será disputada no Autódromo Internacional Nelson Piquet, em Brasília.