Preços dos usados não param de cair

28 de outubro de 2010

Não há sinais de estabilidade no mercado de usados. Há 24 meses os preços vêm caindo e as facilidades na compra de carros novos apontam para a continuação dessa tendência. Desde o início da crise, em outubro de 2008, os preços estão em queda quase que constante (veja o gráfico de 2010).

O balanço Autoinforme/Molicar de setembro mostrou mais uma queda, desta vez de apenas 0,36% (no mês anterior tinha sido de 0,92%), mas suficiente para levar a depreciação acumulada próxima dos 5%: de janeiro a setembro o preço médio do carro usado já caiu 4,98%. O estudo analisa o comportamento dos preços de 2.800 carros e comerciais leves fabricados entre 2001 e 2009.

Três das quatro grandes montadoras, no entanto, tiveram seus carros menos valorizados do que a média. Os carros da Ford caíram 0,13%, da Volks 0,15% e a Fiat 0,25%.

Quem puxou os preços para baixo foram os importados (- 0,48%) e os carros da GM, que tiveram queda de 0,58% no mês. Outras marcas, com volume de vendas menos expressivos, também tiveram queda de preço acima da média, como a Mercedes-Benz (- 0,68%) e a Renault (- 0,95%), entre outros (veja tabela).

Apenas duas marcas com médio volume de vendas – Honda e Toyota – tiveram aumento nos preços em setembro, o mesmo acontecendo com Iveco e Agrale, que atuam apenas no segmento de comerciais leves e cujos preços subiram no mês.