Nelsinho Piquet e Álvaro Parente vencem etapa do International GT Open em Barcelona

31 de outubro de 2010

Nelsinho Piquet voltou ontem ao alto do pódio em uma corrida disputada na Europa. Ao lado do português Álvaro Parente, o piloto brasileiro levou a Ferrari 430 GT2 da Aurora Racing Team à vitória na primeira prova do último final de semana da temporada. “Foi muito bom voltar a ganhar e a única coisa que tenho a lamentar foi a ausência de uma bandeira do Brasil no pódio. Tinha só a de Portugal, que é o país sede da equipe e do meu companheiro”, diz o piloto da Nascar Truck Series, satisfeito com o desfecho da prova, que não começou tão bem para ele. “Tivemos alguns problemas nos treinos de quinta e sexta e foi necessário trocar o motor do carro inclusive. Só consegui dar seis voltas na classificação. Sorte que conhecia bem a pista de Barcelona e consegui o quarto tempo. Na largada, os concorrentes foram um pouco mais agressivos que eu esperava, e um dos meus retrovisores acabou quebrado. Com a visibilidade comprometida e cercado de carros, acabei caindo para sexto”, conta Nelsinho.

Ele então apertou o ritmo, recuperou duas posições e reduziu bastante a diferença para o terceiro colocado, que acabou superado na parada nos boxes para a troca de pilotos. Conduzida por Alvaro Parente, a Ferrari da Aurora Racing conseguiu mais duas ultrapassagens para cruzar a linha de chegada em primeiro lugar, à frente das duplas Mullen-Christodolou e Peter-Broniszewski, ambas dirigindo o mesmo modelo Ferrari da parceria luso-brasileira, mas por outras equipes.

A performance dos pilotos vencedores arrancou elogios do site oficial do campeonato. “A corrida de hoje viu uma magnífica vitória de Nelson Piquet e Alvaro Parente, ambos impressionantes”, registrou o relato oficial da corrida.

Dois seis pilotos que dividiram os três degraus mais altos do pódio, o único estreante era Nelsinho. Todos os demais correram nas outras sete etapas da temporada (com duas provas por final de semana).

“Em comparação com os carros da Nascar Truck Series que guiei neste ano e na próxima temporada, essa categoria é um outro mundo. Nada na condução dos carros da Nascar tem a ver com o trabalho feito aqui no GT. Por isso, espero amanhã ter um desempenho melhor, pois estarei mais entrosado com o carro depois de umas 20 voltas na prova de hoje”, avalia Nelsinho.

Ele não foi o único estreante especialmente convidado para a prova. O belga Sebastien Loeb, dono de sete títulos do Campeonato Mundial de Rali da FIA (WRC), também competiu ontem. O carro de sua dupla cruzou a linha de chegada em 14º lugar.

Na prova de domingo, em que Nelsinho e Parente saem na pole position, a largada ficará a cargo do português. “Será importante ele abrir uma boa vantagem até a parada. Pelas regras da categoria, para dar maior competitividade, o carro vencedor da primeira corrida tem um tempo extra de 15s no pit stop para troca de piloto, o segundo, 10s, e o terceiro, 5s. Então sei que não será nada fácil, mesmo se o Alvaro conseguir manter a primeira posição na pista”, conclui Nelsinho.

Salvo por provas de kart, sua vitória de sábado foi a primeira em pistas europeias desde 26 de agosto de 2006, quando conquistou uma das etapas do GP da Turquia pela GP2.