Di Grassi revela capacete que será sorteado no Twitter

6 de novembro de 2010

Há seis anos morando na Europa, Lucas Di Grassi (Bom Bril, Sorocred, Locaweb, Eurobike, Schioppa) voltou a Interlagos (SP), autódromo no qual começou no esporte, para a disputa neste fim de semana de seu primeiro Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1. Para marcar este momento, o piloto da Virgin Racing estreou no treino livre de sexta-feira (5) um capacete com pintura comemorativa que homenageia o país.

Para animar os fãs, Lucas vai sortear uma réplica do novo capacete através de seu Twitter. Quem quiser participar deve seguir o perfil oficial do piloto (@LucasDiGrassi) e responder à pergunta : “Contando com a edição deste ano, quantos pilotos brasileiros já disputaram o GP do Brasil de Fórmula 1?”.

“Resolvi correr com uma pintura diferente, pois esta vai ser uma prova diferente. É a primeira vez que vou correr de Fórmula 1 em Interlagos, que foi onde tudo começou, na frente da minha família e amigos. Resolvi fazer uma pintura que reunisse o meu design original com as cores e itens da bandeira do Brasil. Acho que o resultado ficou muito legal e bem marcante”, comentou Lucas.

Pilotos costumam ter uma relação de estimação com seus capacetes e com Di Grassi não é diferente. Além de ajudar no desenvolvimento do layout, o piloto também cuida pessoalmente do seu. Nesta sexta-feira (5), antes do primeiro treino livre, o piloto realizou uma sessão de manutenção do seu capacete no box da Virgin Racing. Além de trocar as viseiras, Lucas também faz questão de realizar ele mesmo a limpeza de toda a superfície. “O capacete é a identidade do piloto, e sou bastante cuidadoso com os meus. Tanto que, quando é possível, eu mesmo me encarrego de limpar e também de trocar as viseiras”, disse o paulista de 26 anos.

A Artmix Studios, empresa especializada na pintura de capacetes, cuida dos layouts do paulista e de diversos outros competidores de nível internacional. Diretor da Artmix, Bruno Theil explicou como surgiu a idéia para esta pintura específica: “Um dos maiores desafios nos capacetes para carros do tipo fórmula é a pequena área que fica exposta durante a pilotagem, já que a carenagem cobre boa parte da cabeça do piloto. Tanto o capacete com as cores da Virgin quanto este para o GP do Brasil foram até hoje os mais bonitos de todos que fizemos para o Lucas. Principalmente pelo contraste e beleza plástica. O grafismo da pintura do Lucas é bastante trabalhoso, devido à simetria, proporção e harmonia, que são essenciais nesta composição”, revelou.

Segundo Theil, o piloto gosta de participar ativamente das decisões sobre o layout do capacete: “O Lucas sempre nos deixou muito à vontade para criar e inovar. Fazemos os capacetes dele há mais de dez anos. Até acertarmos a pintura, ele sempre participou e opinou sobre os detalhes, o ângulo e largura das faixas, tonalidade das cores, e qual efeito seria utilizado. Todas as alterações que ele sugeriu sempre foram positivas. Aí chegou um momento em que ele deixou as criações totalmente sob nossa responsabilidade, o que é maravilhoso para nossa equipe de artistas e nos permite ir além. Mas ele gosta de participar, de opinar e ajudar no trabalho com boas ideias. Foi neste movimento que nossa equipe de artistas decidiu, por conta própria, aplicar o nome folheado a ouro na lateral do capacete”, completou o empresário.