500 Km de São Paulo reúne pilotos por diferentes regiões

10 de novembro de 2010

Há poucos dias para o início das atividades da 28ª edição dos 500 Km de São Paulo, prova que será realizada no circuito de Interlagos, nos dias 13 e 14 de novembro, a expectativa pela tradicional corrida vai aumentando. Com organização do Automóvel Clube Paulista, em parceria com a Interlagos Eventos, os 500 km de São Paulo será o primeiro evento após três meses de obras no autódromo para o Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1, disputado no último domingo (7).

Para Toninho de Souza, responsável pela Interlagos Eventos, a edição de 2010 dos 500 km atrairá muitos pilotos com diferentes motivações. “Acho que teremos um grid com uns 40 carros tranquilamente. Muitos estão com saudades de disputar uma corrida em Interlagos após três meses de preparos para o GP Brasil de Fórmula 1. Mas, sem dúvida, a principal motivação para todos é participar de uma corrida com a importância dos 500 km”.

Toninho de Souza fala também sobre os favoritos à vitória. “A Ferrari da dupla Chico Longo e Daniel Serra venceu ano passado e lidera o campeonato este ano, são os favoritos novamente, mas isso não significa que irão vencer. A concorrência pela vitória será feroz, tenho certeza”. Em busca do bicampeonato em Interlagos, Chico Longo demonstra entusiasmo em participar de mais uma edição dos 500 km.

“É sempre um prazer competir em uma prova de Endurance em Interlagos. É a pista que mais gosto e com um Ferrari F430 GT2 o prazer é ainda maior. Vamos tentar o bicampeonato dos 500 km e também buscar o título na Copa das Federações de Endurance”. Reforçando o discurso do seu parceiro de Ferrari F430 GT2, Daniel Serra, exalta a enorme motivação em disputar os 500 km.

“Estamos na disputada do campeonato de Endurance e vamos decidir em São Paulo. E ainda temos o bicampeonato dos 500 km como objetivo. Motivação não nos faltará para o fim de semana”, comenta Daniel Serra. Há quatro categorias diferentes no mesmo grid nos 500 km de Interlagos. Na Categoria I, estão os carros GT com até 1.100 kg, como os que disputam a Itaipava GTBR3. Além deles, os Protótipos nacionais sobrealimentados e os aspirados grandes.

Na Categoria II estão os protótipos nacionais pequenos, tipo Spyder, até 2.500 CC e 620 kg. Na III, os carros com chassi tubular, usando motor e câmbio original de fábrica, porém com livre preparação, com outros Turismo sobrealimentados e os modelos Maserati Trofeo. Na última categoria, IV, estão os carros de turismo pequenos, com motor até 2.500 cc.

Foto: Silvia Linhares/Divulgação