Rally das Serras: Klever Kolberg defende liderança do Brasileiro

11 de novembro de 2010

O piloto Klever Kolberg voltará a disputar uma etapa do Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country, o Rally das Serras, 13ª e penúltima etapa, programado para o período de 12 a 15 de novembro, em São Joaquim (SC). Após três anos sem competir, Kolberg participou em janeiro deste ano no Rally Dakar 2010, inaugurando a categoria Experimental, montando a equipe Valtra Dakar Eco Team, a primeira a utilizar etanol de cana de açúcar como combustível. O desafio seguinte foi o Rally dos Sertões, pilotando o Protótipo Etanol, e com um novo companheiro como navegador, o potiguar Flavio Marinho de França, quando conquistaram o título na Categoria Etanol.

Como as três primeiras etapas do Sertões valeram para o Brasileiro, a dupla Klever Kolberg/Flávio França assumiu a liderança do campeonato, somando 30 pontos. A segunda posição está com a dupla Luis Eduardo Stédile/Armando Miranda, com 20 pontos, enquanto Luis Carlos Nacif/Humberto Ribeiro aparece em terceiro lugar, com 16 pontos. “Vou correr com o mesmo Protótipo Etanol com o qual disputei o Rally dos Sertões, com equipamento preparado pela ProMacchina, e também continuo com o Flavinho na navegação. Ele fez um trabalho fantástico no Sertões, em nossa primeira competição juntos, e esta é uma formação que vamos manter para lutar para manter a liderança do Campeonato Brasileiro”, disse Klever.

O II Rally das Serras terá 270 quilômetros de percurso, e passará pela região de Coxilha Rica, que engloba as cidades de São Joaquim, Painel, Lages e Vacaria, com uma diversidade enorme de terrenos e desafios. O trecho foi assim dividido: 50 quilômetros de deslocamento até a especial, 188 de trechos cronometrados, e 32 de radar. Haverá ainda um abastecimento para todos no quilômetro 100 da especial, no vilarejo de Bentinho. A base e parque de serviços será montada no Parque Nacional da Maçã, em São Joaquim.

“Apesar de todo o rali ser completado em apenas um dia, ele é de um percurso considerado dificílimo. Tem muita quebradeira, muitos trechos de serra, pedras, erosões… Serão 270 quilômetros a um estilo bem ‘casca-grossa’”, apontou Kolberg. “O Rally das Serras pode ser comparado com a etapa mais difícil do Sertões”, afirmou.