Piloto, campeão da F-3 Italiana, vai acelerar um F-1 no início de dezembro

13 de novembro de 2010

Esta sexta-feira (12) ficará guardada na memória do gaúcho Cesar Ramos como um dia especial. Campeão da F-3 Italiana, o piloto esteve por mais de 10 horas na sede da equipe Ferrari, em Maranello (Ita), onde recebeu as instruções para o “grande dia”: seu teste com a escuderia, que acontecerá em 2 de dezembro na pista de Vallelunga.

O teste com o modelo F2008 faz parte do prêmio pela conquista do título. Ramos e o segundo e o terceiro colocado na temporada (o monegasco Stephane Richelmi e o italiano Andrea Caldarelli) foram agraciados com a realização do sonho da maioria dos pilotos.

Mas para tornar esse sonho realidade, a equipe exige uma preparação minuciosa e que também é importante para que os pilotos tenham condições de tirar o melhor do carro e mostrarem suas performances.

A programação desta sexta-feira em Maranello teve início às 8h15 e prosseguiu até 19 horas (local).

“Foi demais! A equipe nos recebeu muito bem. É como se fosse uma cidade lá dentro, com 3 mil pessoas”, ressaltou Ramos, entusiasmado com a nova experiência.

“Pela manhã, cada piloto conversou individualmente com o Luca Baldisserri, que comanda o Ferrari Academy (programa de jovens pilotos). Ele quis saber sobre o futuro das nossas carreiras e os planos para 2011. Depois, fizemos a posição no banco e recebemos as instruções sobre o volante. E descobri que o carro é muito pequeno pra mim (risos). Como este é o modelo 2008, o cockpit foi feito para o Felipe Massa e o Kimi Raikkonen, que são bem menores que eu”, lembrou Cesar, que tem 1,87m de altura. “Mas isso não vai atrapalhar”, afirmou.

“Tivemos uma pausa para o almoço e, na parte da tarde, cada piloto andou entre 1 e 1h30 com o simulador. Eu fui o primeiro a andar e a surpresa foi que nos colocaram para ‘pilotar’ na pista de Abu Dhabi. Nós esperávamos que fosse Vallelunga, onde será o teste e já conhecemos. O simulador é muito legal, é perfeito. Simulamos o acerto do carro e eles também avaliaram o retorno que cada um dava sobre as impressões do acerto. O simulador tem telemetria e é muito próximo de estar pilotando de verdade. Fiquei feliz, porque mesmo sendo o primeiro e passando alguns dados para os outros, fui o mais rápido. Claro que o simulador não quer dizer nada, mas também é uma fase importante”, comentou o piloto de 21 anos, que será o primeiro gaúcho a acelerar um F-1.

O foco agora é conter a ansiedade e trabalhar a parte física para o teste do dia 2. “Vou treinar bastante e também andar de kart. O treino do pescoço é o que mais me chamou a atenção, porque na freada você tem de suportar 30 kg nessa região e no F-3 são só 5 kg”, destacou.

“O ano está terminando. Consegui ser campeão, ter esse dia em Maranello e agora só falta uma etapa e a mais importante de todas. Espero que em Vallelunga também dê tudo certo”, finalizou Ramos.